Comprovada a economia e diminuição dos riscos de segurança, muitas organizações anunciam em seus planos de gestão de inovações tecnológicas, a migração de seus serviços para a nuvem. Um grande número de facilidades pode ser colocado à disposição dos clientes, mas há alguns cuidados que devem ser tomados. São medidas simples, mas que podem trazer melhores resultados qualitativos dos serviços oferecidos. Ao iniciar seu planejamento é recomendável atentar para as seguintes recomendações colocadas pelos analistas:

  • Evite projetar o seu negócio com base em código proprietário de terceiros;
  • Tome cuidados com a segurança;
  • Lembre-se: quando se procura algo que não se acha com facilidade, a mudança acontece de forma invariável;
  • Integre seus sistemas com a infraestrutura da rede, nem sempre o uso de sistemas legados de outras plataformas é a melhor solução;
  • Escolha a tecnologia correta e faça com que ela seja portável: funcionar em A e desprezar B, pode ser um erro irrecuperável;
  • O CRM também funciona na nuvem: há coisas que não mudam;
  • Entre com vontade no mundo da inovação, a rede não aceita o cheiro de mofo;
  • Procure oferecer tudo como serviço (EaaS - Everything as a service);
  • A nuvem exige transparência e planejamento cuidadoso;
  • Não limite o alcance de sua nuvem, tenha aplicativos úteis à mão dos usuários e na forma de fácil acesso.

A circulação de informações em tempo real e com velocidade de resposta é necessária para que as pessoas possam reagir à uma dada informação.

Publicidade
Publicidade

As recomendações colocadas pelos especialistas, de acordo com a lista supramencionada, tornam a estrada de caminhada da nuvem mais plana e com menos curvas. O cliente continua a ser quem deve ter seus desejos satisfeitos, ainda serão eles quem vão regular o que pode ser ofertado na rede. É importante ter em mente e levar em conta que na nuvem, ligada diretamente às redes, qualquer ruído de comunicação é amplificado e as notícias correm como o carro de Jagrená, em desabalada carreira abaixo, em um veículo sem freios e a parada final pode ser fatal.