O objeto de estudo foi a previsão do número de vendas de dispositivos vestíveis, divulgado neste mês de março, junto a pessoas que manifestaram o desejo de efetuar a compra de algum dispositivo vestível no corrente ano. Ao final da pesquisa, o IDC Analyse the Future expande a previsão e considera que este número deve triplicar até 2019. O destaque da pesquisa foram os dispositivos de punho e as grandes Apple, Sony, Samsung e outras já estão com lançamentos efetuados ou engatilhados para o primeiro quadrimestre deste ano.

A tecnologia vestível chegou para ficar e satisfazer os "tecnófilos" de plantão e que estão de olho em grandes marcas.

Publicidade
Publicidade

Há, porém, uma sensível evolução nas empresas consideradas startups de futuro surgindo como ameaças. Os números impressionam e o aumento da demanda poderá diminuir os preços de venda, ainda salgados para o bolso de muitos consumidores.

Os desenvolvedores de aplicativos sorriem abertamente e ostentam novidades que atingem todas as áreas. A área de saúde deverá receber uma atenção especial e os sensores estarão ligados em toda a parte, captando dados.

Parece que a sociedade do "grande irmão" se instala de forma definitiva no meio de um mundo sem fios, mas que capta dados de todos inimagináveis lugares por onde a pessoa passa. É preciso não ficar assustado se alguém lhe parar na rua e lhe disser: "Vá ao seu médico, você está com diabetes". Isto sem nunca você ter dado atenção ao fato.

Publicidade

Na sequência da liderança das pulseiras se encontram os dispositivos modulares para serem utilizados em outras partes do corpo e, em terceiro lugar, ocupando um pódio que irá render milhares de dólares, encontramos as vestimentas. Saindo pela porta do fundo, mas também com muitas vendas previstas, os óculos devem ocupar a quarta posição.

Ryan Reith, um dos pesquisadores, fecha os números ao considerar que haverá, durante o próximo ano, e até 2019, um deslocamento para aparelhos mais caros, que oferecem mais vantagens funcionais. Resta esperar para confirmar os dados da pesquisa e, quem sabe, ser controlado por algum dispositivo colocado na haste de seus óculos. #Negócios