Talvez não seja na próxima viagem, talvez nem seja neste tempo, mas quem sabe algum dia, um descendente mais corajoso tenha que ir até o planeta vermelho. O que se sabe é que, para permanecer por longos períodos de tempo em ambientes sem gravidade, é necessário exercícios diários para adaptar o corpo a uma situação para a qual ele não foi projetado.

Parece que o atual modelo do corpo humano somente está adaptado para a vida terrestre. Qualquer modificação terá que ser cuidadosamente estudada, seja em gravidades maiores, menores ou inexistentes. Mas o que pode acontecer com a visão humana parece um problema ainda maior.

Publicidade
Publicidade

Quando se vai para um lugar do qual nada se conhece é preciso manter a visão afiada. Este problema parece estar resolvido. O instituto Nacional de Pesquisa Biomédica Espacial (NSBRI - National Search Biomedic Retina Institute) em seu projeto "visions4mars" estudou as consequências das características atmosféricas marcianas de modo a poder manter a acuidade visual necessária para que nada fosse perdido pelos olhos dos astronautas.

Os óculos projetados e desenvolvidos por seus cientistas apresentam um conjunto de três diferentes estudos, que irão entrar em testes nos próximos meses. Isto parte da constatação que a microgravidade pode afetar a acuidade visual e causar degradação na visão. As suspeitas são relativas a um possível aumento na pressão intracraniana enquanto as pessoas estão em órbita.

Publicidade

Ainda que este fato não seja possível eliminar, pelo menos com a tecnologia atualmente existente, os estudos no projeto visions4mars visam diminuir estes efeitos negativos.

Os estudos atuais estão sendo dirigidos pela equipe Equinox, para monitorar o que acontece aos olhos quando as pessoas estão em ambientes com falta de gravidade e que afetam a anatomia do olho humano.

Scott Kelly e Mikhail Kornienko são os astronautas que assumiram o posto de cobaias no projeto. A missão histórica terá duração de um ano, tempo utilizado para mensurar os efeitos causados pela microgravidade a longo prazo.  #Curiosidades