O maior medo das fabricantes de software quando lançam um novo produto é que ele apresente falhas de segurança, principalmente, com a invasão do equipamento onde foi instalado por softwares oportunistas e mal intencionados, que podem roubar dados importantes dos usuários.

Reclamações de alguns usuários que implantaram a nova versão do Firefox orientaram uma publicação da fabricante, para evitar prejuízos às pessoas que estão entre os aficionados deste navegador. A nova versão foi implantada em 31 de março e dois dias depois foi efetuado o aviso nas redes sociais. A fabricante espera que o prestígio daquela que já foi a preferida de alguns usuários não seja arranhado.

Publicidade
Publicidade

O defeito apresentado estava na quebra da encriptação HTTP. Quais as consequências do fato? Perda da segurança, por ironia, exatamente o que motivou a oferta desta nova versão. A falha se revelou exatamente na área na qual se pretendia melhorar. Em determinadas transações as informações do usuário poderiam ser enviadas para outros endereços, o que quebrou a segurança do sistema.

O usuário, que imaginava estar acessando sites seguros, eram potencialmente expostos. Ainda não se sabe o número de usuários atingidos. A solução é simples: basta retornar a versão anterior do navegador, ou reinstalar a nova versão depois da descoberta do erro, que já não mais apresenta a vulnerabilidade. Não que ela tenha sido corrigida, mas partes do código foram alteradas para evitar a passagem pela rotina que estava em erro.

Publicidade

Ainda que os usuários não tenham sofrido prejuízos, esta ocorrência deve estar registrada para evitar que a fabricante volte a incorrer novamente no mesmo erro. O que diminui um pouco o prejuízo e deixou alguns usuários satisfeitos com a pronta resposta da fabricante.

Quem desenvolve softwares mal intencionados está sempre atento para a descoberta de qualquer erro, o que pode ser favorável aos usuários, mas demonstra que a segurança total na grande rede ainda é um mito e que muita água ainda irá rolar para que soluções permanentes sejam desenvolvidas. #Internet