Muitas empresas abordam o desenvolvimento de aplicativos móveis sem um estudo voltado para identificar e priorizar as necessidades dos usuários, para em seguida dar atenção às necessidades do negócio. Adotar esta sugestão junto com atendimento às necessidades do negócio pode gerar melhores resultados.

Aplicativos voltados para habilitar e aumentar a produtividade dos usuários finais tem sido apontado como um dos caminhos mais eficazes, seguidos por aplicativos que trabalham com entretenimento. Aos poucos os móveis parecem substituir os notebooks, que em um primeiro passo se transformam em um móvel e que em seguida devem atender a outras faixas de mercado.

Publicidade
Publicidade

O direito de escolha do usuário é o ponto das maiores reclamações. Sempre que o usuário solicitar alguma tarefa específica, os aplicativos que lhe dão oportunidade de desenvolver o serviço e apresentam alternativas, têm a preferência. A pesquisa, que foi desenvolvida pelo grupo Sepharim, questiona o grau de satisfação dos usuários com os aplicativos utilizados e se eles utilizam aplicativos e em que nível. Cresce a busca dos usuários por outros aplicativos além daqueles que gerenciam e-mails, os mais solicitados.

Desenvolver aplicativos somente pensando em negócios, sem se ater às necessidades dos clientes é o ponto onde reside o maior número de reclamações e para o qual as organizações devem dar maior atenção, caso queiram vencer uma batalha encarniçada no mercado dos móveis.

Dispositivos móveis que recebem telas desenvolvidas para desktops ainda continuam sendo apresentados para usuários finais, que esperavam uma forma mais rápida e eficiente de ter informações que desejam, ao custo de um toque e obtenção de resposta imediata.

Publicidade

As questões de design responsivo não interessam ao usuário, mas interessa a possibilidade de navegação ampliada, o que não acontece quando a interface não prevê esta situação.

Assim, é recomendável que a estratégia de gestão de aplicativos corporativos voltados para usuários finais deve receber atenção especial e diferenciada dos desenvolvedores, como um pré-requisito para que a organização possa assumir ou pelo menos de aproximar da liderança na venda de aplicativos para dispositivos móveis. Amigabilidade e usabilidade são as palavras-chave para os desenvolvedores, são eles que estão com as mãos no teclado.