Em recente congresso em Dubai, pedagogos e tecnólogos foram novamente colocados em campos opostos. A principal questão discutida foi: os videogames são uteis nas salas de aula e podem melhorar as atividades de ensino e aprendizagem? Jordan Shapiro, um dos pesquisadores mais destacados na área de aplicação de jogos em #Educação, apresentou diversas justificativas, dentre elas, a de que videogames estão sendo utilizados como meios de comunicação e se tornaram uma forma comum de retórica no século XXI.

As justificativas do pesquisador representam realidades presentes no segmento social de uma nova geração digital. Todos os dias, os estudantes demonstram má vontade em ir para as salas de aula tradicionais.

Publicidade
Publicidade

Aos poucos, a relação entre professores e alunos sofre um decréscimo de qualidade e interação.

A academia ainda não incorporou a proposta de aprender pelo erro, aquela na qual os alunos não têm nenhum cerceamento e coerção e assim podem desenvolver a sua criatividade, testar sua capacidade de inovação e ter a oportunidade de aprender a forma como ele próprio aprende. A metacognição entra em campo e os alunos passam a reconhecer as suas próprias forças e fraquezas. Algumas conclusões podem ser retiradas da análise das colocações dos participantes.

De acordo com especialistas, a utilização de videogames em educação pode dar ao aluno: o prazer de estar em sala de aula, a capacidade de aumentar o volume de interação com o professor e com outros alunos, o aumento de motivação, a sensação de fazer parte de algo, de transformar a sala de aula em sua "turma" em "sua tribo", dentre outros ganhos.

Publicidade

Todas estas possibilidades abertas trazem novamente o aluno para a sala de aula e permite tornar a aprendizagem algo efetivo. Estes foram os assuntos tratados em Dubai, que obteve a conclusão, na qual considera como ponto máximo, a capacidade apresentada pelos videogames de desenvolvimento de habilidades metacognitivas nos estudantes.

Uma mudança de perspectiva pode ser salutar e ajudar alunos a aprender de forma inteligente e divertida.