Com 20 anos de #Internet, o Brasil tem hoje uma velocidade de banda larga comparada a Líbia, país este que se encontra em meio a um caos político e religioso. Nosso país ocupa o quinto lugar no ranking mundial de acessibilidade à internet, mas no quesito velocidade deixa a desejar, estando em 89º no ranking dos países com downloads mais rápidos.

A velocidade média no Brasil é em torno de 3 Mbps, menor que Iraque e Kwait de acordo com a Akamai, empresa que faz pesquisas nesta área, e tem atuação de alcance global. A Coréia do Sul é a primeira na lista dos quase 150 países pesquisados, tendo em média 22,2 Mbps de velocidade para navegação.

Publicidade
Publicidade

De acordo com o G1, que elaborou um mapeamento mostra que em 406 cidades a maioria das conexões está na faixa que vai até 512 Kbps. Parte destes municípios se encontra na região Norte e no interior de Santa Catarina e no Rio Grande do Sul. E segundo a Anatel (Agência Nacional de Telecomunicações), a maior parte dos moradores de 456 cidades tem velocidade semelhante à países como Japão e Suíça. O diretor de operações da Akamai, Jonas Silva disse que a situação semelhante a própria história do Brasil. "Toda a infraestrutura da internet está desenvolvida mais ou menos da forma como o Brasil foi colonizado. As cidades costeiras têm mais habitantes, tiveram um desenvolvimento primário melhor que o interior do Brasil. Por isso, as velocidades nesses locais são bem altas e o sul sendo mais ruralizado se torna um obstáculo" disse.

Publicidade

Devido a esta desigualdade entre os municípios, o governo possuí uma meta que pretende levar a internet veloz para mais de 90% da população brasileira até 2018. É a segunda fase do Plano Nacional de Banda Larga (PNBL 2.0), que foi orçado em 125 bilhões de reais. O objetivo do programa é de expandir a infraestrutura dos serviços de telecomunicações no país, aumentando assim a acessibilidade de uma banda larga rápida.

Agora precisamos aguardar, e ver se de fato haverá uma revolução na internet brasileira, para que possamos usar esse bem que é insubstituível de maneira abundante, sem o desolamento de esperar meia hora para carregar um vídeo ou abrir uma página. #Comunicação