Hoje em dia existe um número expressivo de pessoas com o #Celular na mão, seja em ônibus, em restaurantes, ou até mesmo no horário de trabalho, as vezes deixam a interação social de lado para consultar as novidades nas redes sociais, ou aplicativo novo, isso na grande parte do dia, até mesmo nos momentos de diversão, como em baladas e confraternizações, momentos esses que deveriam ser para as pessoas se divertirem.

Além do distanciamento que os celulares e seus gadgets provocam entre as pessoas, o maior dos problemas estão na radiação que eles transmitem através do excessivo contado com o objeto. Não é somente uma determinada marca que ocasiona essa radiação, toda sem exceção emite algum grau de radiação, seja ele internacional ou nacional, o que traz um malefício muito grande à saúde.

Publicidade
Publicidade

Existe um índice que limita a quantidade da emissão que é de 2w/kg, porém a maioria aproxima do limite de radiação eletromagnética não ionizante.

Veja a seguir cinco smartphones que emitem mais radiação com a proximidade do rosto ao fazer uma ligação: O primeiro da lista é Motorola Maxx e Motorola Ultra 1,57 w/kg que tem o mesmo índice ficando no topo da lista emitindo a maior quantidade radiação, em segundo com 1,5 w/kg está o Motorola Moto E, atrás e não tão menos radiativo estão os celulares Alcatel Evolve e o Hueawei VItria com 1,46w/kg.

Apesar de não haver estudos que comprovam a seriedade do assunto, para um maior conhecimento da população aos sérios riscos que essa radiação traz a saúde do usuário do celular. existem processos jurídicos que apresenta o uso excessivo de gadgets ligados com o aparecimento de doenças neurológicas, até mesmo de tumores na cabeça.

Publicidade

Um empresário que teve um tumor no cérebro associa a #Doença a utilização incessante do aparelho de um smartphone no período de seis horas diárias no trabalho.

Um estudo feito pela Escola Superior de Propaganda e Marketing (ESPM) estabelece que o efeito da radiação é classificado em duas variedades, quando a pessoas sente o celular e a pele em contato fica quente é chamado de térmico. Já o efeito não térmico não tem a sensação de calor, porém pode alterar o sistema nervoso através de energias bioquímicas ou eletro físicas.

É importante que estabeleça um limite no uso do aparelho, as vezes o celular se transforma em uma parte do corpo da pessoa, o que pode prejudicar a saúde e trazer malefícios irreversíveis, por tanto é preciso evitar dormir com o smartphones em baixo do travesseiro ou muito perto do seu corpo. O ideal é que se reflita na importância que damos a um aparelho que de inofensivo não tem nada.