Murmúrios nas esquinas virtuais dizem que, se o governo quisesse, a internet poderia ser ofertada de forma gratuita para todos.

Para rebater, tirando a Argentina, que resolveu nos superar na usura pública, nosso país tem a segunda internet mais cara do mundo (pesquisa info).

É uma discussão que ainda vai perdurar por algum tempo, mas um dia, todos esperam, o bom senso irá prevalecer e, a rede será então, uma avenida larga, de mão dupla, sem semáforos.

Enquanto isto não acontece, existem alguns exemplos que, esquecendo os erros do marco zero e o que foi estabelecido como esperança no primeiro parágrafo, devem ser seguidos.

Publicidade
Publicidade

Notícias vindas do Sudeste do país, alertam que os aposentados que batem ponto no parquinho mais famoso da cidade, estavam em polvorosa. Eles preparavam cartazes de agradecimento (ao que pode ser que tenha sido apenas um arroubo político), pelas facilidades possibilitadas para a população local (pasmem, que incluem as escolas públicas) no acesso à cultura (e falta de cultura) presentes na grande rede.

Tudo isto, em uma velocidade que chega a assustar os piratas e, coloca seus empregos em risco. Segundo o linguajar local a cidade "parou de crescer que nem rabo de cavalo - para baixo ninguém quer). A principal faixa de acesso supera a amiga faixa dos 34 Mbps. Foi isto mesmo o que você ouviu.

O projeto ainda oferece navegação gratuita para todos os moradores. Não se entusiasme e caia na real, você não está em Pasárgada (lá onde os amigos do rei, tem todas as regalias).

Publicidade

Qualquer semelhança com a capital no planalto é mera coincidência (comparação que certamente não estava nos planos do saudoso Manuel Bandeira). Dica para quem quer ser saudoso, basta virar poeta: todos os poetas são saudosos.

Estes números são divulgados pela Anatel. A agência assinala, ainda, que 38,3% das pessoas com acesso na cidade navegam na rede com esta velocidade. Superamos a Coréia do Sul, onde apesar dos olhos puxados e pequenos, parece que os governantes enxergam longe e a velocidade de acesso no país chega a uma média de 22,2 Mbps. Com relação ao restante 28,8% acessam a velocidade entre 2 e 12 Mbps. Outros 27,6% tem em suas residências velocidades entre 12 Mbps a 34 Mbps. Para completar a cidade tem 14.581 pontos de acesso de banda larga.

Melhor que isto somente se ela fosse grátis, mas ainda não chegou-se a tal ponto para todos, mas já há um projeto - guarde este nome: Sim Vinhedo Digital - que oferece a velocidade de 1 Mbps gratuito com acesso via rádio.

Para as escolas (sonho de qualquer professor digital - acredite eles existem e, são de carne e osso, como nós) a velocidade gratuita atinge 16 Mbps.

Publicidade

Vive-se o tempo de confirmar as previsões de tantas pessoas que lutavam para que isto acontecesse.

As lousas interativas e tablets dos programas digitais deixam de ser um brinquedo inútil em sala de aula e são utilizados para permitir que a informação esteja ao alcance de todos. Os sorrisos nos rostos rechonchudos das crianças é paga suficiente.

Como sempre há pessoas com a língua-de-trapo (pessoas que vivem fazendo fofoca), elas dizem que tudo somente funciona bem no centro e nos bairros ricos e que, na periferia as coisas não são bem assim. Mas na grande rede, o que acontece em algum ponto, pode ser irradiado, talvez falte vontade popular para tanto, ninguém sabe. #Inovação