Um é pouco, dois é bom, três é demais... Esse ditado já foi ouvido muito provavelmente mais de uma vez por qualquer pessoa. Porém, ele parece não se aplicar (e nem poderia) ao novo projeto da Airbus com a OneWeb. Curioso para saber o motivo? Então vamos lá.

A companhia gigantesca europeia, o Grupo Airbus, recentemente virou notícia de capa em diversos jornais quando foi anunciado o fato de que a empresa será a responsável por projetar e construir nada mais nada menos do que 900 satélites. Isso mesmo, os números estão corretos. São cerca de 900 satélites encomendados por outra empresa, a já citada OneWeb.

Qual a finalidade disso? É simples.

Publicidade
Publicidade

A OneWeb está planejando oferecer o serviço de acesso à #Internet de alta velocidade diretamente do espaço para bilhões de pessoas ao redor do globo terrestre. Bom, ao menos foi isso o que representantes da empresa anunciaram para a imprensa em geral recentemente.

De acordo com as informações veiculadas até o momento serão lançados ao espaço cerca de 700 satélites. Cada um desses terá um peso inferior a 150 quilos. A previsão é de que esses primeiros satélites produzidos já possam estar "passeando" pela órbita da Terra a partir do ano de 2018.

E o que acontecerá com resto? Bem, eles ficarão por aqui mesmo. A função não é outra senão a de um "estoque" de satélites. Afinal de contas, não se sabe quando uma substituição precisará ser feita. A informação foi dada pela própria OneWeb que possui sua sede nas Ilhas do Canal.

Publicidade

O projeto em si envolve mais gente e empresas do que aquelas que sempre são citadas. Por exemplo, ele tem na sua faixa de financiamento dinheiro vindo do Virgin Group que pertence a Richard Branson. Outra fatia da verba financeira vem de outra empresa famosa do setor de tecnologia, a Qualcomm.

Em termos financeiros mais acertados esse projeto irá custar aos bolsos dos envolvidos algo que deverá ficar entre 1,5 bilhão e 2 bilhões de dólares. Ao menos essa é a estimativa dada por Greg Wyler, o presidente executivo da OneWeb.

Até o momento o que se sabe é que os primeiros dez primeiros satélites serão construídos na unidade de Defesa e Espaço da Airbus. A fábrica fica situada na região de Toulouse, na França. De acordo com Airbus, a produção será deslocada posteriormente para os Estados Unidos, porém, o local ainda é um segredo.