Um grave problema que atinge milhares de pessoas ao redor do mundo são os acidentes de trânsito, causados por desatenção, problemas mecânicos e em grande parte pelo efeito de substâncias ilícitas ou lícitas no caso do álcool que mesmo sendo proibido a motoristas, ainda assim é ingerido comumente.

No caso de drogas ilícitas, o motorista somente é punido se tiver porte delas, caso seja somente usuário não há provas de crime, porém, o Governo Americano tem tentando mudar este âmbito que agora junto a uma empresa canadense, informou a criação de um bafômetro para detectar quantidades de maconha no organismo de quem dirige.

Publicidade
Publicidade

De acordo com a empresa criadora do produto, a Cannabix Technologies, o bafômetro para maconha ainda está em fase de testes e não tem previsão para ser comercializado. O escopo principal da utilização do produto é que ele seja usado pela Polícia Rodoviária Norte Americana.

O Natinal Highway Traffic Safety Administration (NHTSA), órgão responsável por cuidar da segurança das estradas nos Estados Unidos, havia publicado em artigo no início deste ano informando que a maconha é prejudicial às habilidades psicomotoras e as funções cognitivas do indivíduo. A maconha pode causar leve confusão mental, moleza no corpo, dificuldade em respostas rápidas e a demora a resposta de estímulos motores e visuais, o que de fato dificulta em determinados graus ao se guiar um automóvel, situação que pode ocasionar acidentes.

Publicidade

Enquanto as autoridades americanas não estabelecem um limite da utilização da substância, alguns estados do país não toleram nenhum nível nos motoristas, exceto dois estados, Washington e Montana já definiram um limite de cinco nanogramas por milímetro.

Não há previsão alguma de quando este aparelho pode chegar ao mercado, conforme informado pela desenvolvedora canadense e muito menos se este produto chegará a outros lugares do mundo, incluindo o Brasil. Caso ele esteja disponível para autoridades brasileiras, não sabemos se a ajuda deste aparato alterará o número de vítimas causadas no trânsito assim como têm sido com o bafômetro para álcool, até mesmo porque o número de motoristas ao volante sob o uso de maconha é algo incomum ou pelo menos até então, pouco noticiado. #Automobilismo #Inovação #Justiça