Que a tecnologia já se faz capaz de tratar, armazenar e disponibilizar um volume imenso de dados, já se sabe, mas a quantas anda a capacidade de análises dos dados não estruturados?

Estes dados dependem de contexto para serem entendidos e tratados. Até então, só podiam ser decifrados por pessoas com conhecimento de causa no assunto. Hoje, um conjunto de soluções, intitulado de Big Data, ainda em fase de adaptações e estudos constantes, como toda e qualquer plataforma tecnológica, realiza a descriptografia desses dados, disponibilizando-os em tempo real aos interessados. A tomada de decisões é a grande beneficiária desta #Inovação.

Entende-se por dados não estruturados, aqueles dados que em seu conjunto de algoritmos transmite emoções ou informações contextualizadas sobre algo.

Publicidade
Publicidade

Uma simples solução sistêmica de descriptografia não seria capaz de mapeá-los, já que a contextualização e o entendimento dessas informações, só eram, até então, privilégio humano.

Imagine você e um grupo de amigos postando no Facebook uma série de comentários divergentes sobre as eleições presidenciais. A solução tecnológica do Big Data é capaz de captar todos esses dados não estruturados, e, em tempo real, estruturá-los, gerando relatórios com tendências e possíveis cenários futuros.

A solução é muito mais ampla do que se imagina e já está sendo utilizada por grandes companhias. Os custos com a mão de obra humana, a tomada de decisões mais assertiva, e a possibilidade de apreciar um cenário que ainda está por vir, são os grandes méritos do Big Data. A grande sacada está na possibilidade dos dados falarem por si mesmo.

Publicidade

O Big Data agrega valor a partir de sua dinamização, o que o torna muito maior do que apenas uma tecnologia.

Com essa visualização de dados eficaz, é possível ter resultados cada vez mais assertivos nos negócios, deixando para trás o vicioso e muitas vezes falho processo de amostragem – tão pequeno que acaba se perdendo, mas ao mesmo tempo contribui para a formação de cenários visualizadores de tendência, quando é necessário obter uma visão mais micro.

A partir do momento que se pode fazer correlações com um grande volume de dados, transformando-os em informações mais precisas, como é o caso do Big Data, é possível mapear muito mais assertivamente as tendências e cenários. Esse conjunto de soluções tecnológicas é exatamente o sonho de qualquer empresa. Relacionar produtos que seus clientes podem comprar, a partir de registros já detidos em sua base de dados, é apenas um pequeno item de tudo o que pode ser ganho com este projeto.

As pesquisas de opinião, municiadas de pequenas amostras, em sua maior parte de 2.000 pessoas, não conseguem tangibilizar uma prospecção nacional de resultados para as eleições.

Publicidade

Por outro lado, poderosos detentores de dados podem facilmente tendenciar quem vencerá as eleições, correlacionando hábitos de consumo, posts em redes sociais e preferências de vida. 

Os gurus marqueteiros estão dando pulos de alegria. #Internet #Blasting News Brasil