A suposta regulamentação de serviços via streaming como Netflix, Spotify e o aplicativo de mensagem instantânea #WhatsApp está sendo alvo de regulamentação no Brasil. O ministro das comunicações, Ricardo Berzoini, quer que o serviço seja tarifado com mais impostos, visto que, o serviço tem aumentando a quantidade de usuários no Brasil. 

"Não existe nada de graça. Se o governo aumentar os impostos sobre esses serviços, o usuário é que vai pagar a conta", disse Eduardo Parajo, presidente da Associação Brasileira da #Internet (Abranet). Parajo defende que os serviços tenham menos regulamentação e menos impostos, visto que o serviço ouve desaceleração esse ano, mas mesmo assim tende a crescer no decorrer dos anos. O faturamento desses serviços tende a fechar positivo o ano de 2015 com faturamento superior a R$120 milhões.

Publicidade
Publicidade

O aplicativo Whatsapp também é alvo das operadoras de telefonia móvel do Brasil.Depois de lançar o serviço de chamada por voz, as operadoras entenderam que o aplicativo é um concorrente "sem pagar impostos."

A briga maior entre as operadoras com o aplicativo, é que o mesmo vem crescendo o número de usuários e o serviço de SMS vem sendo menos utilizado a cada dia. Além disso, as operadoras defendem a tese de que o aplicativo não é legal por ser necessário a utilização do número (MSISDN) fornecido pela operadora ao usuário, ou seja, o aplicativo não tem utilização de um login próprio, e sim o número de telefone do usuário. O aplicativo Whatsapp atingiu a marca de 1 bilhão de usuários em todo o mundo, só no Brasil, o aplicativo conta com mais de 50 milhões de usuários ativos.

No dia 11 de fevereiro de 2011, o aplicativo foi alvo de uma liminar de um juiz do Piauí que pedia o bloqueio do serviço no Brasil. A alegação é de que o aplicativo contribui para disseminação de conteúdo pornográfico, principalmente material com conteúdo relacionado a pedofilia. A liminar foi derrubada e o serviço continua operando normalmente no Brasil.

Publicidade

O serviço de streaming Netflix, superou a marca de 2,2 milhões de usuários por todo o mundo, sendo o Brasil o 2° maior usuário do serviço.