A maior rede social do mundo voltou à cair nesta segunda-feira (28), saindo do ar pela segunda desde quinta-feira, contabilizando a segunda queda em menos de uma semana, sendo que outra rede social teve esse fato como uma dos assuntos mais comentados entre seus usuários: o Twitter não ficou muito tempo até ser inundado por comentários sobre a possível queda da rede social Facebook nos últimos dias.

Segundo noticiado no site do Correio Braziliense desta semana, várias especulações giraram sobre a real causa da plataforma que gere a rede social ter apresentado uma mensagem com os dizeres "Facebook - Sorry, something went wrong - We´re working on it and we´ll it fixed as soon as we can" , com a tradução livre para o português "Facebook - Lamentamos, algo deu errado - Estamos reparando isso e vamos consertá-lo o mais rápido que pudermos."

Segundo alguns comentários no Twitter, o Facebook estaria fora ar devido a implantação do novo botão "dislike", criado pelos desenvolvedores de software do próprio Facebook, anunciado à alguns dias pelo fundador da rede social Mark Zuckerberg.

Publicidade
Publicidade

Sobre o botão "dislike", que está sendo desenvolvido pela equipe de programadores de Zuckerberg, a declaração partiu do próprio CEO da empresa numa rodada de perguntas por meio da rede social, "as pessoas pedem por um botão 'não curtir' por muitos anos, e muitos de vocês perguntaram sobre isso. Hoje é um dia muito especial é o dia que posso dizer que realmente estamos trabalhando nisso e que estamos perto de mandá-as para teste", afirmou o fundador da rede social nessa enquete virtual e amplamente divulgada pela rede americana CNBC, no início do mês de setembro.

A matéria publicada traz também as justificativas de Mark, que segundo o que seus profissionais querem é que as pessoas demonstrem empatia, "se você compartilha algo que é triste as pessoas podem não se sentir confortáveis em curtir aquela postagem", seguindo as declarações Zuckerberg relata que não é tão simples idealizar um botão com essa característica, pois "não queremos que o Facebook se torne uma forma de fórum onde as pessoas votam positivamente ou negativamente nas publicações dos outros", finaliza o empresário.

Publicidade

#Entretenimento #Curiosidades #Comportamento