O Ministério da #Educação selecionou o aplicativo Hand Talk como software educacional, equipando os tablets da rede pública de ensino no Brasil, com o objetivo de romper as barreiras limitantes na comunicação de conteúdo nas salas de aula.

Com a ferramenta é possivel realizar tradução de áudio e texto para a linguagem dos sinais. Já são mais de 600 mil downloads e 80 mil traduções, desde da sua criação ainda em 2013 pelos sócios/ desenvolvedores Ronaldo Tenório, Carlos Wanderlan e Thadeu Luz. Na época, e de acordo com o site Brasil.gov, o aplicativo recebeu um incentivo financeiro no valor de 400 mil reais da Finep, promotora de desenvolvimento econômico e social do Brasil vinculada ao Ministério da Ciência, Tecnologia e #Inovação (MCTI), por meio de instituições públicas ou privadas.

Publicidade
Publicidade

Eleito em 2013 pela Organização das Nações Unidas (ONU) como o melhor aplicativo social do mundo na feira de inovações tecnológicas "World Smmit Award", o software gratuito traduz para linguagem de (Libras) os textos e imagens do idioma português, com a apresentação de um intérprete virtual, chamado 3D Hugo.

Além do aplicativo Hand Talk, a equipe de desenvolvedores apresenta soluções para empresas por meio de sites e plataformas de implementação, com o uso de monitores de acessíveis e totens para autoatendimento, comenta Ronaldo, lembrando ainda que, para um futuro, breve espera que algumas de suas soluções inovadoras possam chegar a outros países, com finalidade voltada a acessibilidade digital digital por meio de aplicativos como o Hand Talk. A execução de sites acessíveis é outros dos projetos desenvolvidos pela empresa.

Publicidade

Para acessar a ferramenta digital, execute o download gratuitamente pelo site Hand Talk.

Dados sobre a Língua Brasileira dos Sinais (Libras)

Segundo dados fornecidos pelo site do Governo Federal "Brasil.gov", o país hoje registra cerca de 10 milhões de pessoas com alguma deficiência auditiva, sendo que em torno de 1,7 milhão têm dificuldades para ouvir e outros 344,3 mil são surdos.