Em países da Ásia como a Coreia do Sul, o Japão e a China, o eSport já é considerado um esporte oficial e movimenta milhões de dólares em torneios, vendas e patrocínios. Agora, no Brasil, um Projeto de Lei está prometendo transformar esse tipo de esportes em esporte oficial, algo que está agradando a muitos jogadores brasileiros que sonham ser profissionais dos games.

#Jogos como o DOTA 2, Counter Strike, League of Legends ou Starcraft II são um enorme sucesso em todo o mundo. Jogadores juntam-se, criam times e jogam online, seja em partidas amistosas ou em torneio milionários com prêmios que chegam a ser superiores a 1 milhão de dólares.

Publicidade
Publicidade

Na Ásia a loucura é ainda maior. Em países como a Coreia do Sul ou a China, as estrelas do eSport são considerados autênticos “deuses” movimentando muitos milhões em contratos de publicidade.

No Brasil também já existem casos de sucesso no eSport. Um brasileiro é Top 8 de Street Fighter e um time do nosso país conseguiu o segundo lugar em um torneio mundial de Counter Strike. Esses são apenas dois de muitos exemplos de “atletas” brasileiros que fizeram boa figura em frente a um computador ou console de videogame.

Agora, um Projeto de Lei da autoria do deputado João Henrique Caldas, do PSB de Alagoas pretende instituir normas gerais sobre o eSport tendo, como objetivo principal, transformá-lo em esporte oficial. Na opinião do deputado, que falou ao UOL, esse seu Projeto de Lei vai gerar oportunidades de renda, emprego e inovação para o país.

Publicidade

Na opinião do deputado, a partir do momento em que o eSport passar a ser oficial, os pro players serão automaticamente valorizados, conseguindo uma significativa melhoria nos seus contratos.

Lucas Almeida, diretor da INTZ, uma das melhores equipes de eSport brasileiras está otimista. Na opinião dele, essa iniciativa é uma evolução natural das coisas, uma vez que é o que está acontecendo em todo o mundo. Nos Estados Unidos, por exemplo, canais de televisão como a ESPN e até canais da Disney têm transmitido regularmente eventos de esportes virtuais.

O Projeto de Lei está ainda dependente do voto dos deputados, mas João Henrique Caldas está confiante e acredita que brevemente conseguirá cumprir o sonho de muitos esportistas virtuais.

O que acha desse Projeto de Lei? Aprova? Conta para a gente nos comentários! #Entretenimento