Ontem foi reportado que a Activision adquiriu a MLG, organização conhecida por seu apoio aos eSports, pela quantia de US$ 46 milhões, em uma operação cercada de polêmicas e surpresa na comunidade gamer como um todo. Embora ainda tenha sido tratado como um rumor por um tempo, a própria Activision veio a público com um press briefing detalhando seus objetivos e os motivos que levaram a compra da organização.

Segundo a própria Activision, a infraestrutura bem articulada do grupo foi o principal fator para compra, que auxiliará nos planos futuros da empresa quanto ao cenário competitivo de games como um todo. Em entrevista ao New York Times, o CEO da Activision, Bobby Kotick, declarou que deseja "construir a ESPN dos video games".

Publicidade
Publicidade

Em outras palavras, os objetivos da Activision podem muito além do imaginado. Com a compra, é possível que vejamos os esportes virtuais no mesmo nível dos esportes tradicionais nos próximos anos.

DiGiovanni permanece como CEO

Apesar da compra repentina, algumas atividades dentro da MLG continuam as mesmas, como o comando da organização por Sundance DiGiovanni, e a permanência da MLG Pro Circuit, inclusive este ano. Outro detalhe que chamou atenção no press briefing, é que a compra da MLG não implicará em exclusividade nas transmissões e disputas das franquias da empresa, como Call of Duty, Hearthstone, Heroes of The Storm e Overwatch.

Atualmente, a MLG oferece suporte a diversos games nos gêneros MOBA, como League of Legends; FPS, como Counter Strike Global Offensive; e há alguns anos atrás, um expressivo suporte aos jogos de luta, especialmente Mortal Kombat, Super Smash Bros.

Publicidade

Melee, King of Fighters XIII, e vários outros. 

Embora a mudança repentina nos planos da MLG, a nova empreitada pode realmente elevar o segmento a novos níveis nos próximos anos. Obviamente, tal esforço não depende apenas de uma única empresa, mas nas combinações justas entre os esforços empresariais e dos jogadores. Na última geração de consoles, vimos que tais iniciativas são possíveis. Resta saber se será nesta geração que veremos os eSports de formas inéditas. #Entretenimento #Jogos