O trânsito de veículos nas grandes cidades é um transtorno para qualquer pessoa. Porém, é uma rotina que pode ter seus dias contados graças à tecnologia veicular que a cada dia esta impressionando muitas pessoas, que só viam veículos extraordinários assim em filmes de ficção científica.

O futuro chegou

Quem acompanhou a saga Guerra nas Estrelas ficará animado com esta notícia. Já se imaginou em uma daquelas motos voadoras da trilogia? Pois bem, há uma empresa norte-americana que está desenvolvendo este veículo que, pode-se dizer, é realmente cinematográfico. O futuro chegou.

Desafio tecnológico 

A Aeroflex é uma empresa norte-americana que deu o nome à primeira moto voadora, a Aero X.

Publicidade
Publicidade

O modelo terá dois lugares, podendo voar até cinco metros de altura em uma velocidade de 72 km/h. Funcionará com gasolina e sua autonomia é até uma hora e quinze minutos, com o tanque bem abastecido. O veículo conta também com sistema eletrônico de meteorologia que o ajudará nas condições dos ventos.

Mais próximo do que nunca

Há alguns ajustes finais para o bom funcionamento da Aero X, mas seu lançamento já é previsto para o ano de 2017. Nada mal para nos livrar do trânsito e bom para quem trabalha na defesa civil e outros órgãos de segurança do governo, já que o veículo parece ser bem mais ágil que o helicóptero, podendo passar por áreas com mais estreitas. 

Preço não é para todos

Como em qualquer lançamento tecnológico, a Aero X está com valor bem elevado, chegando a custar o valor de um carro de luxo ,cerca de US$ 85 mil, o que à cotação atual daria perto de R$ 340 mil, como dizem “os olhos da cara!” Com o, poderão aparecer outras empresas com propostas mais acessíveis ao público.

Publicidade

E habilitação?

O surgimento do Aero X é um sonho de criança a ser realizado por muitas pessoas que se deslumbram com o fascínio da vontade do o homem em poder voar, sentir a liberdade que só os pássaros têm em atingir os pontos mais altos desta plenitude fantástica da natureza que é o céu.

Contudo, e apesar de estar próxima a chegada deste novo meio de transporte, as autoridades ainda não debateram o que será necessário. Que tipo de habilitação será necessária para conduzir esse veículo? Como poderemos regular o trânsito? Veremos surgir em S. Paulo novos problemas de trânsito, agora até cinco metros acima do chão? São várias as perguntas que as autoridades deverão, senão dar resposta, pelos menos começar pensando nelas. #Cinema #Inovação #Arte