Já se imaginou no filme De Volta Para o Futuro andando naquele skate voador? Pois bem, a realidade pode estar mais próxima do que pensamos.

A empresa Lexus, da Toyota, resolveu fabricar o que chamamos de verdadeiro brinquedo do futuro: o SLIDE - skate flutuante. E inacreditavelmente ele existe, o que prova que nada é impossível.

Como funciona?

O skate flutua por levitação magnética e a fumaça que sai dele é feita por causa da reação do nitrogênio. Há uma série de funcionalidades para que o skate possa flutuar. Seguem algumas delas:

  • A falta de campo magnético no interior do material;
  • Criostatos embutidos na prancha;
  • Uma área magnética, revestida com material leve para obter o magnetismo.

Brinquedo surpreende até quem mais entende do assunto

O skatista profissional McGouran foi contratado pela Lexus para sentir a diferença de andar neste magnífico brinquedo, e ele confessa que nunca havia sentido algo tão diferente antes, principalmente na falta de atrito e a postura em se equilibrar no skate.

Publicidade
Publicidade

Com mais de 20 anos andando de skate na sua vida, McGouran teve de se adequar a um novo estilo.

Contando com parcerias importantes como a IFW Desdren, empresa Alemã especializada em pesquisas, e sua subsidiária Evico, a Toyota ficou com a parte de acabamento do produto. Mas infelizmente este brinquedo está longe do alcance do público, já que a Lexus não pretende comercializa-lo. Porém, já existe o Hendo Hover, um outro skate futurista.

HENDO - um skate que flutua a 2,5 cm do chão

Este também é um skate futurista que flutua sobre uma área revestida de alumínio. Para flutuar, usa a Arquitetura de Campo Magnético chamada MFA, tecnologia própria da Arx Pax, uma startap do setor.

Comercialização 

Ao contrario do SLIDE, da empresa Lexus, o HENDO pode ser vendido por R$ 10 mil, mas vale lembrar que a pessoa precisa de uma área de alumínio para poder andar flutuando com o skate futurista.

Publicidade

Projetos futuros

A empresa não para por aí. Os criadores do HENDO pretendem usar a mesma tecnologia para combater desastres, fazendo com que os prédios flutuem. #Negócios #Inovação #Comportamento