A nanotecnologia consiste-se em chips minúsculos invisíveis a olho nu e já começa a tonar-se uma nova realidade em países da União Europeia. Agora só resta saber quanto tempo levará para os governos e as grandes empresas que administram esta tecnologia levaram para inserir os chips dentro de vacinas com o intuito de controlar e monitorar a população mundial.

O senador americano Simon Parkes, acredita que alguns de nós já possa ter um chip Rfid inserido através da vacinação. A nanotecnologia trata-se de materiais microscópicos menores do que um fio de cabelo. Há cerca de dez anos começaram a surgir as primeiras pesquisas as quais melhoravam as concepções e a fabricação dos micro-chips.

Publicidade
Publicidade

O que destravou uma série de metodologias para o seu desenvolvimento tais medidas foram criadas para o monitoramento em pacientes com doenças terminais.

Autoridades japonesas acabam de confirmar que os cientistas japoneses desenvolveram o menor chip do mundo, o qual pode ser incorporado no papel para rastrear encomendas além de provar a autenticidade de documentos. Atualmente o circuito integrado é o (IC chip) menor que um grão de areia. Onde os microchips são operados por meio de ondas de rádio em baixa frequência e podem ser localizados com a ajuda de satélites. Ou seja um indivíduo pode ser localizado em qualquer parte do mundo. Essa tecnologia já havia sido testada antes em soldados americanos no Iraque.

De acordo com o Dr. Carl Sanders, inventor da nanotecnologia. Essa tecnologia foi inserida nos soldados americanos durante a guerra do Vietnã.

Publicidade

Onde o microchip do Rambo passava a estimular a adrenalina na corrente sanguínea dos combatentes causando um padrão neurológico em seus cérebros aumentando seu poder de reação através das estimulações eletromagnéticas alterando suas ondas cerebrais.

''Atualmente o programa de vigilância da Agência Espacial Americana a (NASA) pode acompanhar e monitorar milhares de pessoas. Ou seja cada um de nós apresenta ondas bioelétricas desse modo todos nós temos impressões digitais únicas, onde as frequências eletromagnéticas são totalmente codificadas e pulsam em sinais eletromagnéticos os quais podem ser enviados pelo cérebro'' ressalta o Dr.Sanders.

Em meados de 2009 a Organização Mundial de Saúde (OMS), lançou na mídia uma campanha falsa e sensacionalista, a qual referia-se a epidemia de uma nova gripe desconhecida da maioria da população mundial. Para senador Parkes,esse cenário foi criado com o intuito de convencer a população mundial a se prevenir vacinando-se com as vacinas H1N1, vacinas cuja a sua fórmula contêm o mercúrio e o escaleno substâncias prejudiciais a saúde.

Publicidade

''Naquela época as propagandas espalhadas pela mídia aliadas aos acontecimentos biológicos conseguiram convencer a população a aceitar os microchips dentro das vacina sob alegação de um grande bem para a população em geral. Após as funções do cérebro estarem conectadas a supercomputadores através de implantes que utilizam frequências de rádio. Será tarde para alguém reivindicar alguma coisa. Mas esta ameaça poderá ser derrotada se o público em geral estiver ciente a respeito do assunto e começar a pesquisar algo no que se refere a bio-telemetria e a nano-robótica além da trocar informações em congressos internacionais'' conclui Parkes. #Entretenimento #Dicas #Curiosidades