Não é nenhum filme de ficção científica como alguns poderiam falar, mas sem sombra de dúvidas o futuro já está presente no que diz respeito aos robôs e “humanóides” (criaturas ou máquinas que se assemelham na forma aos humanos), uma vez que, por exemplo, os robôs se fazem cada vez mais participativos e presentes nos mais variados setores e além do que, ultimamente vêm recebendo inúmeras “sessões de up grade”, ou seja, muitas melhorias nos seus formatos anatômicos, performance e movimentação/percepção como um todo. 

Por outro lado, o número dos robôs e máquinas correlatas ao que pode ser visto no vídeo do texto, ainda é bastante reduzido devido ao nível tecnológico muito avançado do robô do artigo que está lendo.

Publicidade
Publicidade

  

Atlas, como é chamado o robô que aparece no vídeo (na mitologia grega, Atlas é um dos titãs condenado por Zeus a sustentar os céus eternamente), é um modelo incrivelmente moderno e foi criado e desenvolvido pela empresa Boston Dynamics, empresa essa que foi comprada por ninguém menos do que a #Google. Tudo isso fez com que muitas pessoas temessem mais ainda a história de Skynet, que no filme O Exterminador do Futuro, pode ser considerada uma inteligência artificial extremamente avançada, que acabou se tornando autoconsciente e passou a ver os humanos como um perigo concreto à sua existência.

O robô Atlas encontra-se apto para realizar muitas tarefas, tais como: transportar caixas e também levantar-se, caso por uma determinada razão caia ao solo. Atlas é uma geração tão sofisticada de robôs, que pode se locomover de modo muito semelhante a um ser humano, tanto é que atravessa terrenos desnivelados e de difícil locomoção até mesmo para as pessoas. 

Outras características que o deixam ainda mais com o aspecto humanoide, é que ele tem aproximadamente 1 metro e 75 centímetros de altura (um pouco mais da altura média de um homem do Brasil) e pesa 82 quilos. 

A empresa criadora de Atlas revela que a sua nova versão foi projetada para atuar no interior e exterior das construções, sendo direcionado a manipular itens.

Publicidade

O robô é movido por meio de recarga na energia elétrica, tendo componentes e articulações hidráulicas, sensores espalhados na sua área corporal e principalmente pernas para manutenção do equilíbrio. 

Atlas é tão de última geração que tem o LIDAR (sigla em inglês para Light Detection and Ranging) que nada mais é do que uma tecnologia de detecção com sensores na região da cabeça, que o possibilita de desviar-se de barreiras físicas, analisar o terreno, auxiliar com a dinâmica de movimentação e na manipulação de objetos. 

Sim, pelo visto o futuro já está entre a espécie humana, pois o robô da Google é prova concreta disso. A pergunta que fica no ar é que se o homem do vídeo, o qual derruba intencionalmente as caixas que Atlas carrega e ainda empurra a máquina diversas vezes, poderá ser alvo algum dia da fúria de Atlas? Assim como sugerem algumas teorias conspiratórias. #Natureza #Android