Startups e empreendedores mineiros ganharão, em breve, um espaço que vai fornecer todas as condições para desenvolver e implantar seus projetos. Com o nome de crowdworking, o local será inaugurado em Santa Rita do Sapucaí (a 420 km de Belo Horizonte, no Sul de Minas), região conhecida como o Vale da Eletrônica por abrigar pelo menos 150 empresas de base tecnológica. O foco será em soluções para as áreas de telecomunicações e conectividade e tem o apoio do Grupo Telefónica, através do programa Telefónica Open Future.

O espaço físico terá condições de abrigar entre 18 e 20 startups que ali permanecem por um período de cinco a oito meses.

Publicidade
Publicidade

Além de toda a infraestrutura - espaço físico, equipamentos e acesso à telefonia e internet -, também serão disponibilizados suporte técnico e mentoria. Fazem parte do projeto a realização de workshops e palestras com empreendedores e referências de mercado em diversos temas (finanças, marketing, pitching, aquisicão de usuaários etc).

Os critérios de seleção ainda estão sendo definidos, e, dependendo do desempenho e do potencial do negócio, os empreendedores também poderão contar com aportes financeiros após esta primeira etapa.

O vice-presidente de Estratégia e Planejamento Corporativo da Telefónica Vivo, Alejandro Contreras, estima o potencial da iniciativa. “Há um grande ânimo empreendedor – mais de 35% da população do Brasil empreende, muito acima dos 20% dos Estados Unidos", informa, acrescentando que iniciativas como esta são a grande resposta à desaceleração econômica na América Latina.

Publicidade

Uma das metas do programa este ano é buscar a colaboração com parceiros públicos e privados para impulsionar a #Inovação e o empreendedorismo. "Os espaços de crowdworking contribuirão para que o talento permaneça no país e reverta em favor da economia local, contribuindo para a geração de empregos”, afirma a diretora do Telefónica Open Future, Ana Segurado. Ana enxerga o grande potencial de iniciativas semelhantes e estima que o Brasil tem espaço para a criação de pelo menos cem crowdworkings nos próximos anos. 

Em Minas, o crowdworking conta com a parceria do Instituto Nacional de Telecomunicações (Inatel), com sede em Santa Rita do Sapucaí, que dará suporte acadêmico podendo impulsionar seus já existentes programas de inovação e incubação de empresas. Também haverá o apoio de um fundo de investimentos, o Fundo Amerigo – Investech que apoia a economia em escala e a internacionalização do novo empreendimento.

Segundo a Telefónica, a iniciativa no Sul de Minas coincide com mudanças no Wayra, aceleradora de startups do Grupo Telefónica e que possui escritórios em 11 países, acelerando no total quase 500 startups pelo mundo.

Publicidade

O gerente do Telefónica, Renato Valente, informa que a expectativa é de que esses novos projetos continuem a trajetória de sucesso de empreendedores que passaram pela Wayra e que conseguiram, entre outras coisas, obter rodadas de financiamento superiores a um milhão de euros e trabalhar com a Vivo - uma das empresas do grupo Telefónica, além da própria operadora Telefónica e o portal Terra. #Negócios #Educação