Um tribunal da cidade de Buenos Aires, capital da Argentina, decidiu nesta quinta-feira (28) pela proibição de aceitação de pagamentos de viagens do Uber por administradoras de cartão de crédito. A medida é mais um capítulo na guerra travada pelas autoridades locais contra o aplicativo de transporte de passageiros. A juíza Claudia Alvaro determinou até que as empresas de #Internet da região bloqueiem o acesso à plataforma, "até que a Uber se adeque às normas da cidade". De acordo com a magistrada, "os usuários do Uber se encontram desprotegidos ao contratar um serviço de transporte de passageiros que não está habilitado, cujo motorista não possui licença de condutor profissional e que não tem seguro de acordo com a atividade".

Publicidade
Publicidade

O Ente Nacional de Comunicação (Enacom) ainda não aplicou o bloqueio formal da Uber, mas usuários já não conseguem pagar seus trajetos com cartões Visa e American Express, porém com clientes Mastercard os pagamentos são computados. Na semana passada, a juíza Alvaro também rejeitou um pedido de nulidade da proibição feito pela Uber, considerando-o "abstrato" e confirmando o bloqueio na capital do país vizinho.

Como já é rotina nos locais onde se instala, a Uber tem sido recebida com fortes protestos dos taxistas argentinos, incluindo piquetes, engarrafamentos colossais em Buenos Aires e agressões a motoristas do aplicativo. No Brasil, onde chegou em 2014, ainda não há uma regulamentação nacional, mas a empresa opera por força de liminares e apoiada no artigo 170 da Constituição, que trata da livre iniciativa e livre concorrência.

Publicidade

Novidades em Fortaleza e São Paulo

A Uber fez sua estreia em Fortaleza no início da tarde desta sexta (29), com a blogueira Victória Rocha (foto). A capital cearense é a décima primeira cidade brasileira onde o serviço opera, e terá por enquanto apenas a categoria mais econômica (uberX). O preço base é de R$ 2,50, há a cobrança de R$ 1,20 por quilômetro e mais R$ 0,20 por minuto. O valor mínimo das corridas e a taxa de cancelamento são de apenas R$ 6. Em São Paulo, estreou o polêmico serviço uberPOOL, em que um mesmo motorista pode levar mais de um passageiro ao mesmo tempo. De acordo com a empresa, isso contribui para menos carros nas ruas e o valor de cada viagem pode ser até 40% mais barato que o uberX. #Inovação #Justiça