Os usuários do WhatsApp foram surpreendidos por mais uma determinação judicial pedindo o bloqueio do serviço de mensagens instantâneas da #Internet. As operadoras de telefonia fixa e móvel foram comunicadas que o bloqueio ocorrerá em todo o país e terá duração de 72 horas, a contar das 14 horas desta segunda-feira, 2 de maio.

A decisão é do juiz Marcel Montalvão, de Lagarto, no Sergipe. Apesar dos usuários tomarem conhecimento apenas hoje, a decisão foi anunciada no dia 26 de abril. As operadoras Claro, Nextel, TIM, Oi e Vivo poderão pagar multa diária de R$ 500,00 caso descumpram a decisão.

Essa não é a primeira vez que o #WhatsApp é bloqueado.

Publicidade
Publicidade

Em dezembro do ano passado, o serviço de mensagens instantâneas ficou fora do ar por 48 horas por determinação da 1ª Vara Criminal de São Bernardo do Campo, em São Paulo. O caso está correndo sob segredo de Justiça, a exemplo do atual e, por isso, não podem ser passadas mais informações sobre a determinação.

De folga nesta segunda, o juiz não fará nenhum comentário sobre sua decisão. O magistrado é o mesmo que ordenou a prisão do representante do Facebook, na América do Sul, no mês de março. A operadora Claro informou ter recebido a notificação judicial, ressaltando que todas as operadoras também já foram informadas da decisão. As operadoras Oi, TIM, Nextel e Vivo não confirmaram o recebimento da decisão, mas farão comunicados sobre o bloqueio.

Os usuários do WhatsApp começaram a se manifestar nas redes sociais contra o bloqueio, a exemplo do que aconteceu no ano passado.

Publicidade

O aplicativo de mensagens instantâneas não é utilizado apenas para conversas entre amigos, familiares e namorados, mas também para assuntos relacionados ao trabalho.

Muitos usuários dependem da ferramenta para fechar negócios importantes e o bloqueio pode representar prejuízos para uma parcela significativa dos brasileiros.

O Brasil é um dos poucos países no mundo a bloquear serviços de internet como uma rede social ou serviço de mensagens instantâneas. Decisões como essa são criticadas por milhares de pessoas mundo afora. #Tendências