Você possui uma conta na rede social Facebook? Então fique atento. Você pode estar entre as vítimas de um ataque promovido por um vírus que roubou mais de 10 mil contas de usuários, cuja maioria estão no Brasil.

Segundo a empresa de segurança digital Kaspersky Labs, um ataque de phishing, por meio do Facebook, atingiu só na terra “verde e amarela” 3.700 usuários, cerca de 37% de contas brasileiras da rede social de Zuckerberg.

Arquivo malicioso

O malware disseminado na rede tem como intuito, usurpar tanto as contas como os dados de privacidade dos usuários do Facebook, e funciona da seguinte maneira:

  • Você recebe uma notificação de que foi marcado por alguém da sua lista de amigos, em determinada postagem;
  • A tal notificação, na verdade, é fake (falsa), sendo enviada pelos invasores, desencadeando um ataque em duas frentes;
  • A primeira frente é aquela onde o computador é infectado por um vírus chamado trojan. O trojan, conhecido como “cavalo de troia” instala programas maliciosos no computador do usuário, e principalmente, uma extensão no navegador #Google Chrome;
  • Na segunda fase do ataque, já com a extensão maliciosa instalada no navegador, ao acessar a rede social, os invasores já dominavam o perfil invadido, fazendo diversas alterações, como mudar as configurações de privacidade, enviar spam e produzir curtidas e compartilhamentos em serie usando a conta invadida.

Medidas preventivas

Para evitar transtornos, a Kapersky Labs pontuou algumas medidas que irão ajudar os internautas a se precaverem de possíveis ataques.

Publicidade
Publicidade

A primeira dica é usar programas de segurança antivírus, mesmo que sejam alternativas gratuitas.

Restringir as configurações de privacidade também estão entre as medidas que podem se adotar para diminuir as chances de ter sua conta afetada por ataques, além é claro, de tomar o máximo de cuidado ao clicar em links enviados em mensagens suspeitas, seja num computador, notebook ou celular.

Aos que desconfiam que foram vítimas de invasão, buscar no Chrome por extensões desconhecidas, além de escanear o notebook, PC ou smartphone com um programa antimalware são atitudes essenciais.

  #Celular #Internet