A energia pode ser gerada de várias formas, sendo que o vento, o sol e a água são os meios mais comuns para obtê-la. Devido à crescente preocupação em preservar o meio ambiente, cada vez mais novas tecnologias são desenvolvidas por pesquisadores de todo o mundo. Agora, uma nova invenção promete revolucionar a maneira como recarregamos nossos celulares.

Conforme noticiado no jornal inglês Daily Mirror, em breve não será preciso usar a tomada para recarregá-lo. Para isso, bastará armazenar a urina, que será usada em uma célula de combustível capaz de gerar energia no aparelho. Ao custo de apenas 2 euros, a ‘bateria orgânica’ promete baratear os telefones móveis.

Publicidade
Publicidade

A partir de 600 ml de urina, pesquisadores conseguiram manter um celular ligado por três horas.

Segundo o jornal, a tecnologia chamada de célula combustível microbiana, poderá ser usada em locais onde a energia é inexistente. Caso o aparelho fique sem funcionar e precise ser recarregado, uma simples urinada será suficiente para que o telefone volte a operar. O professor Loannis Leropoulos, da Universidade do Oeste da Inglaterra, situada em Bristol, é o responsável pela produção da inovadora bateria. Ele também contou com a ajuda de uma equipe de pesquisadores.

De acordo com Leropoulos a elaboração da inusitada bateria só foi possível devido ao aprimoramento realizado nas células de combustível microbianas. Ele comenta que no passado já havia sido demonstrado que um celular poderia ser recarregado por essas células.

Publicidade

Contudo, o cientista destaca que a nova bateria a base de urina é capaz fazer com que o sistema de célula de combustível microbiana abasteça um smartphone moderno, que demanda mais energia do que os aparelhos antigos.

Do tamanho de um polegar, a pequena célula de combustível utiliza um catalizador de carbono no cátodo (eletrodo de carga elétrica negativa), derivado de uma proteína encontrada na clara do ovo. O professor acrescenta que este catalisador é mais barato do que os atuais, feitos de platina, que são frequentemente usados em células de combustível microbianas.

Ao que tudo indica, num futuro breve, bastará urinar para que as baterias dos celulares voltem a trabalhar. Veja abaixo o acadêmico demonstrando o funcionamento do aparelho (vídeo em inglês).

  #Inovação #Curiosidades #Desenvolvimento Tecnológico