O jogo Pokémon Go foi liberado pela Nintendo no Brasil nessa semana. Não demorou muito para que os primeiros incidentes envolvendo a brincadeira de capturar criaturas estranhas pelas ruas ganhassem a mídia. De acordo com uma matéria publicada nesta quinta-feira, 04, pela Revista Veja, bandidos já estão fazendo a festa com a nova brincadeira. Ao invés de caçarem os personagens do desenho animado oriental para ganharem pontos, eles preferem mesmo ganhar dinheiro roubando os celulares dos jogadores distraídos. 

Em pouco mais de 24 horas, dois assaltos foram registrados na cidade de São Paulo. Uma das vítimas acabou sendo o publicitário José Hilário Cavalcante de Oliveira Junior, de 32 anos.

Publicidade
Publicidade

O profissional da mídia disse que poucas horas depois de comprar um celular novo teve o aparelho roubado. O assalto ocorreu no ponto mais importante de São Paulo, a Avenida Paulista. O caso acabou sendo registrado em uma delegacia da região. Policiais estão precisando se adaptar a nova febre que ao que tudo indica vai trazer problemas. 

O departamento de trânsito do Rio de Janeiro (DETRAN) já está até fazendo uma campanha para que os jogadores tenha cuidado ao atravessarem a rua. O medo é que eles sejam atropelados. Sobre o assalto que ocorreu em São Paulo, o publicitário disse que baixou o aplicativo minutos depois de comprar o celular novo. Depois disso, ele saiu às ruas para jogar. Às dez horas da noite, o aparelho telefônico foi furtado. No momento do assalto, ele capturava monstros com um amigo. 

O homem explicou que aprendia a como capturar os pokémons, quando apareceu um Zubat, um dos monstros com aparência de morcego.

Publicidade

Para fazer a captura, ele segurou o celular com uma das mãos. Foi aí que o bandido se aproveitou da distração. Usando uma bicicleta, ele roubou o aparelho. Incidentes parecidos já aconteceram em diversas partes do mundo. As autoridades agora estudam como lidar com a nova realidade, que mescla bastante ficção no dia a dia. E você, já baixou o joguinho ou foi roubado?  #Crime #Investigação Criminal