A quarta-feira (10) está sendo marcada pelo protesto de clientes da operadora #Claro, que acusam a empresa de estar boicotando o game "Pokémon Go". Muitos são os relatos de usuários da operadora que não conseguiram acessar o game de maior sucesso do momento, independente de usarem 2G, 3G ou 4G, os usuários estão reclamando nas redes sociais e no Twitter a hashtag "#ClaroSemPokemonGO" já está entre os assuntos mais comentados.

Um usuário alega que não está conseguindo visualizar os ginásios, outro relata que não tem nem pokémons nem pokéstops para ir pegar os itens do game. Outra reclamação dos usuários é que a empresa não dá nenhum retorno sobre o problema e nem se posiciona sobre a questão.

Publicidade
Publicidade

A acusação é de que a Claro esteja usando "traffic shapping", que é uma prática nada legal que torna o acesso bastante precarizado de forma proposital, deixando a conexão com a internet bem mais lenta, tornado praticamente impossível jogar o game de realidade aumentada.

Se realmente for confirmado que a Claro está usando "traffic shapping" para prejudicar seu clientes, a empresa poderá ser severamente punida, pois é uma infração gravíssima contra o Marco Civil da Internet.

Mesmo através do contato via telefone, a Claro não informa nada sobre o problema, pois a empresa não nega, mas também não confirma a dificuldade de jogar "#Pokémon Go". A única informação dada pelo setor de atendimento da operadora é de que o departamento de engenharia já foi informado sobre a questão e encontra-se analisando o que pode estar acontecendo.

Publicidade

Algumas pessoas entretanto, estão alegando que o problema foi provocado pela própria Niantic, já que a Claro utiliza só um endereço IP para acessar os servidores do game. O que teria acontecido é que a Niantic sofreu uma tentativa de ataque de hackers e para se proteger teve que bloquear esta porta e com isto prejudicou a todos os usuários que acessam através da Claro, só que nada disto foi confirmado por nenhuma das empresas.

E enquanto o problema vai se arrastando, usuários da Claro continuam nas redes sociais protestando.

#games