Muito além dos benefícios de termos notícias em tempo real, conversas online, com chamadas pela webcam, filmes, vídeos, cultura e entretenimento, a #Internet oferece perigos reais. E não se tratam apenas dos vírus e malware. Oportunistas se utilizam do mundo virtual para prejudicar outras pessoas, expondo informações falsas, vídeos ou fotos impróprias que denigrem a imagem e o caráter de suas vítimas. Outros se utilizam de falsos perfis criados nas redes sociais (fotos, nomes, características falsas) para envolver emocionalmente as suas vítimas a ponto de, inventando histórias quase convincentes, aplicar-lhes golpes financeiros. Inúmeros casos de vítimas de “scammers” são relatados com frequência. Há também a atuação de “hackers”, que se utilizam de aplicativos e programas para invadir o computador de sua vítima, enviando “links”, por e-mail ou através de “chats”, que podem danificar o computador ou acessar seus dados pessoais, bancários e senhas.

Publicidade
Publicidade

Diante dos perigos “virtuais”, as crianças e adolescentes tornam-se os alvos mais vulneráveis, pois, com sua capacidade emocional ainda em desenvolvimento, não estão totalmente aptas a discernir e perceber quando estão em risco, tornando-se vítimas fáceis de pedófilos. Os pedófilos costumam criar falsos perfis de crianças nas redes sociais para abordarem suas vítimas inocentes. Os adultos devem estar sempre atentos ao que acontece na rede, assim como à sua volta. E é necessário supervisionar o uso da internet pelas crianças e adolescentes.

Entre os maiores riscos da internet estão download de virus, malware e spyware; ter suas conversas e imagens impróprias gravadas em chats de redes sociais; acesso a conteúdos impróprios (violência, pornografia, etc); acesso a sites de pedofilia ou terrorismo; golpes financeiros, com roubo de alguma senha ou por chantagem emocional de algum scammer, além do cyberbulling.

Publicidade

Todo cuidado é pouco para se prevenir desses perigos. Não exponha sua vida pessoal, fotos íntimas, endereço, telefone, números de documentos; supervisione o uso da internet pelas crianças e adolescentes, orientando-as sobre esses perigos, limitando os horários de acesso e incentivando o uso da internet para pesquisas, vídeos interessantes e aprendizado. Cuide para que a internet seja um instrumento do bem. Caso sofra alguma ameaça pela internet, não deixe de registrar a ocorrência na delegacia mais próxima. A Polícia Civil já possui recursos tecnológicos para localizar e identificar o possível criminoso. #Comportamento