Já ouviram falar de algoritmo? Pois é, a maioria das pessoas nunca ouviu falar disso, mas tudo que fazemos dentro das redes sociais são realizadas graças a ele. Numa explicação bem simples, os algoritmos são códigos que o computador interpreta, fazendo a leitura de um software ou de páginas da internet (websites). Quando você chama um carro do Uber, quando você interage no Twitter ou no Facebook, você usa um algoritmo.

A rede social #Facebook sempre está inovando e modificando seu algoritmo para melhorar seus recursos. Criada em 2004 nos #EUA pelo atual presidente da empresa e dono, Mark Zuckerberg, o Facebook veio tomando espaço e cresceu muito, faturando milhões.

Publicidade
Publicidade

Há na rede social 1,7 bilhão de usuários ativos por mês. A rede tem mais de 50 milhões de páginas de veículos e publishers.

O intuito mais essencial de algoritmos dentro das plataformas sociais é melhorar as experiências dos usuários. O Facebook, desde 2003, vem fazendo modificações no seu maior produto, News Feeds. Para ser exato, fez mudanças 23 vezes. A mais recente mudança, que aconteceu em junho desse ano, vai priorizar a exibição nos feeds de notícias de postagens de amigos e familiares.

Em declaração, o vice-presidente do News Feed, em uma postagem oficial para divulgar as mudanças, Adam Mosseri, disse que dessa forma muitas pessoas só olham o que realmente gostam e não perdem os posts dos amigos e familiares. Se não existir uma classificação dos posts as pessoas deixam a plataforma com muita insatisfação.

Publicidade

Isso só é mais um capítulo de uma longa discussão sobre como o algoritmo pode mudar a forma com que as pessoas interpretam o mundo. Com essas mudanças o Facebook vem sendo considerado o maior divulgador de notícias mundial. Mas, de acordo com a pesquisadora da USP, Daniela Bertocchi, essa experiência é um modelo do Facebook para sustentar seus próprios negócios. Isso não quer dizer quer dizer que seja necessário ou é a resolução dos nossos problemas.

Isso vem sendo discutido ao longo dos anos e vem sendo classificado como uma espécie de “bolha ideológica”. Mas não podemos negar a importância das redes sociais nas nossas vidas. #Tecnologia