Lançado em 2009 nos Estados Unidos pela empresa Riot Games, o jogo ‘League of Legends’, do gênero MOBA (Multiplayer Online Battle-Arena), ganhou rapidamente vários adeptos, e sua popularidade só foi crescendo ao decorrer dos anos. O servidor norte-americano já contava com vários jogadores espalhados pelo mundo, incluindo brasileiros. Com o rápido crescimento e a massificação de novos players, cada região foi adotando seu próprio servidor, sendo lançado nos principais países da Europa e Ásia. Em 2012, o Brasil lançou seu próprio servidor, migrando todos os jogadores que jogavam no servidor norte-americano para o recém lançado.

Dois meses após o seu lançamento em território nacional, já ocorria o primeiro campeonato brasileiro organizado pela Riot juntamente com a BGS (Brasil Mega Arena), que contou com mais de 300 times se enfrentando, desde a fase classificatória até a grande final, e uma premiação para o vencedor de U$S 50 mil.

Publicidade
Publicidade

Nesse mesmo ano ocorria a segunda edição do campeonato mundial realizado em Los Angeles, sendo o campeonato de #E-Sports (esportes eletrônicos), com a maior premiação da história: US$ 2 milhões. O game explodiu e à medida em que os anos passavam o sucesso do jogo só aumentava, contando com mais de 67 milhões de jogadores ativos por mês, segundo sua desenvolvedora, e indo para sua 6ª edição do campeonato mundial, que está acontecendo em São Francisco. O jogo é um verdadeiro fenômeno, superando gigantes como ‘World of Warcraft’ e ‘Counter Strike’.

Suas partidas  são assistidas por milhares de pessoas ao vivo na internet, por meio de contratos de direito de transmissão firmados com empresas como YouTube e Twitch, recentemente alcançando a TV através do canal SporTV, que transmitiu a final da segunda etapa do campeonato brasileiro de 2016.

Publicidade

Campeonatos ao redor do mundo com premiações milionárias e contratos de patrocínio com grandes empresas como Coca-Cola, Nissan, Pepsi e Vodafone, são alguns exemplos da magnitude do cenário atual. Estima-se que até o final de 2016 a gigante do E-Sport possa movimentar US$ 500 milhões, segundo dados da consultoria Deloitte. 

Diante de todo esse cenário, cada vez mais times foram surgindo ao redor do mundo, bem mais estruturados, contando com coachings ( treinadores que organizam e revisam rotinas de treinos diários); Game Houses, formadas por equipes dentro de cada casa com os mais diversos profissionais, atraindo cada vez mais patrocinadores, criando sua própria identidade e adquirindo uma base de fãs crescente disposta a lotar estádios - como aconteceu recentemente na final do CBLOL- 2016 (Campeonato Brasileiro de League of Lengens) no Ginásio do Ibirapuera, totalizando mais de 10 mil pessoas, esgotando os ingressos colocados à venda . #RiotGames #LeagueOfLegends