Diversas fotos começaram a circular nas redes sociais mostrando uma quantidade enorme de casos em que o último modelo de smartphones lançado pela #Samsung, o Galaxy Note 7, entrou em combustão enquanto era carregado. A empresa responsável pela fabricação dos aparelhos se desculpou com os clientes e havia se retratado iniciando um recall para trocar os telefones. Contudo, essa semana também houve reclamações sobre explosões dentre os novos telefones distribuídos.

Essa é mais uma parte dos diversos pontos negativos apontados pelos clientes desde que o modelo foi lançado, e a Samsung sofre com a crise. A empresa soltou uma nota dizendo que a segurança dos consumidores é a sua principal pauta e que por isso determinará que o aparelho seja recolhido e as vendas parem.

Publicidade
Publicidade

Segundo anunciado, todos os revendedores e lojistas deverão interromper de maneira global as vendas e trocas do Galaxy Note 7, enquanto não ficar esclarecido qual é o problema.

As investigações continuam para tentar resolver a situação bizarra encontrada no aparelho. Enquanto isso, as orientações aos clientes são, tanto os que têm o Galaxy Note 7 original, quanto os que possuem o aparelho substituído, de desligá-los e interromper o uso. Além da empresa, a Comissão de Segurança de Produtos de Consumo (CPSC), órgão quer regulariza a empresa coreana, também alertou os consumidores dando a mesma orientação.

Na última segunda-feira (10), a companhia já tinha soltado uma nota dizendo que diversos ajustes iriam ser feitos na linha de produção do telefone. No entanto, no fim do mesmo dia, deu um comunicado mais direto e enfático falando realmente sobre a interrupção do uso

A imagem da marca está totalmente comprometida depois que, essa semana, uma quantidade enorme de clientes começou a divulgar nas redes sociais de todo o mundo os telefones queimados.

Publicidade

A Samsung que sempre colocou como marca de seu trabalho a inovação e a qualidade agora enfrenta um de seus piores momentos. Apesar das substituições de setembro, que chegaram a cerca de 2,5 milhões de aparelhos, o problema ainda persiste, e a marca terá que lidar por um bom tempo com essa mancha em sua história. #Celular