Parece realmente que a #Samsung tem um fantasma que não quer deixar de assombrá-la. Quando todo mundo, inclusive a empresa, achava que o problema com o Galaxy Note 7 tinha sido resolvido, eis que um aparelho explode outra vez. Foi o que aconteceu no vôo 994, da Southwest Airlines, dos Estados Unidos, que saía de Louisville para Baltimore. Os passageiros e a tripulação tiveram que sair do avião pela porta da cabine principal logo após perceberem a explosão do aparelho. Ninguém ficou ferido.

E o mais curioso é que o aparelho em questão já era o da nova versão - quando na parte de trás da caixa mostra um quadrado preto e o ícone da bateria tem a cor verde - ou seja, o que fora substituído pela Samsung. O site ‘The Verge’ conversou com o dono do celular, Brian Green, que confirmou a história.

Publicidade
Publicidade

Ele pegou o novo #Note 7 no dia 21 de setembro na loja da operadora AT&T.  

Brian informou que desligou o celular assim que fora pedido pela tripulação e o colocou no bolso. No entanto, percebeu que começou a sair uma fumaça deste local. Imediatamente, ele jogou o smartphone no chão da aeronave e uma fumaça cinza-esverdeada começou a aparecer. Quando não tinha mais ninguém dentro do avião, um colega de Brian voltou para buscar os seus pertences, e percebeu que o local onde fora deixado o Note 7 teve o carpete queimado, juntamente com o contrapiso do avião. 

O estranho é que o celular não estava carregando; ele tinha apenas 80% de bateria antes de ser desligado. Brian disse, também, que ele só usa o carregador sem fio, e não o de parede. 

‘The Verge’ entrou em contato com a Samsung para esclarecer o caso, e recebeu o seguinte comunicado: “ Até que nós tenhamos o aparelho, não podemos confirmar que se tratava de um Note 7. Estamos trabalhando com as autoridades e com a Southwest para recuperar o dispositivo e confirmar a causa. Uma vez que tenhamos o dispositivo daremos maiores informações.”

O Note 7 está agora nas mãos do Departamento de Incêndio de Louisville para investigação e o US Consumer Product Safety abriu uma averiguação sobre o incidente.

Publicidade

Brian agora é o dono de um iPhone 7.