"Não sabendo que era impossível, foi lá e fez". Essa citação é geralmente atribuída a dois escritores, o francês Jean Cocteau e o norte-americano Mark Twain, porque não há certeza de sua autoria. Mas este ano, a frase foi atribuída ao publicitário alagoano Ronaldo Tenório, de 31 anos, que ignorou as opiniões negativas e entrou na lista dos 35 jovens mais inovadores do mundo, segundo o Instituto de Tecnologia de Massachusetts (MIT), pela criação do aplicativo Hand Talk. A ferramenta é um tradutor de bolso que transforma a Língua Portuguesa em Libras, auxiliando na comunicação entre surdos e ouvintes em várias situações.

O processo de criação do aplicativo começou em 2008.

Publicidade
Publicidade

Na graduação de Publicidade e Propaganda, o alagoano foi desafiado a criar uma solução de comunicação, e sem convivência com deficientes auditivos, desenvolveu o conceito do que seria futuramente o Hand Talk. O público foi escolhido por meio de pesquisas, após o publicitário perceber que havia problemas na relação entre surdos e ouvintes.

Porém, o projeto só foi concretizado quatro anos depois, junto com os sócios Carlos Wanderlan e Thadeu Luz, analista de sistema e arquiteto especialista em 3D, respectivamente. Eles desenvolveram o protótipo de uma startup para concorrer na DemoDay Alagoas, premiação da qual foram vencedores.

Em 2013, o Hand Talk foi lançado. "As pessoas diziam que era impossível fazer algo desse tipo. Mas, a gente foi lá, desafiou e conseguiu criar esse aplicativo", explicou o publicitário.

Publicidade

E os resultados começaram a aparecer rapidamente. "A gente não esperava. Foi algo que criamos para ver se dava certo, mas a gente fica muito feliz com a proporção que tomou", afirmou, se referindo aos mais de 15 reconhecimentos nacionais e internacionais que a ferramenta já recebeu. Entre eles, o prêmio de melhor aplicativo social do mundo, eleito pela Organização das Nações Unidas (ONU).

O mais recente é o reconhecimento do MIT, nos Estados Unidos, que colocou o alagoano no seleto grupo dos jovens mais inovadores do mundo. Ele é o único latino-americano listado e o primeiro brasileiro da história a receber esse prêmio. "Solução brasileira pode competir de igual para igual com solução de qualquer lugar do mundo", declarou Tenório, honrado em representar o país.

Como funciona

O Hand Talk é gratuito, está disponível para iOS e Android e já ultrapassou a marca de um milhão de downloads. Ao abrir o aplicativo, o simpático Hugo aparecer para fazer as traduções do Português do Brasil para a Linguagem Brasileira de Sinais (Libras).

Publicidade

O personagem traduz textos, áudios e até imagens que contenham palavras.

Entre as formas de uso do aplicativo, o publicitário destaca as que causaram impacto nos desenvolvedores. "A gente tem casos onde ajudamos pais e filhos a se comunicar e melhorar o relacionamento entre eles, porque falavam línguas diferentes dentro da própria casa. Depois de anos, as famílias conseguiram se entender graças ao auxílio do Hugo", contou.

Por falar nele, Tenório comentou a escolha de seu nome. "É fácil de ser pronunciado em qualquer país, é um nome global. E acho que tem cara de Hugo", brincou o alagoano.

Novidades

Pela escolha do nome do personagem, dá para imaginar as inovações que o Hand Talk pretende trazer para os usuários. A primeira é que o Hugo será poliglota. "A gente já está trabalhando para que, em breve, o Hugo possa traduzir para linguagens de sinais de outros países", adiantou Tenório. Essa novidade está prevista para 2017.

Contudo, a comunidade surda do Brasil já conta com outro auxílio importante, na Web. Atualmente, mais de quatro mil sites nacionais utilizam o Hugo para traduzir seus conteúdos.

Por coincidência, os desenvolvedores do Hand Talk também carregam uma famosa citação motivacional. Jovens, retiraram o incentivo dos quadrinhos do Homem-Aranha. Na história, ele ouve do tio que "grandes poderes trazem grandes responsabilidades", e Tenório concorda. "A gente cria mais responsabilidade para ajudar as pessoas com a nossa solução". #ComunidadeSurda #HandTalk