Coincidência ou não, o #Facebook e o #Instagram, ambas redes sociais pertencentes a Mark Zuckerberg, saíram do ar na manhã de domingo, 29. O fato ocorreu poucas horas após o programador publicar em sua conta do Facebook, que os Estados Unidos é uma nação de imigrantes e que isso deveria ser motivo de orgulho. Mark criticou a política de Trump de tentar ‘limpar’ os EUA dos imigrantes.

Por horas, internautas tentaram acessar suas contas no Facebook e Instagram, pelo celular e computador, mas não conseguiram. Não demorou muito e milhares de tweets surgiram falando sobre o assunto no Twitter, onde o tema chegou ao primeiro lugar do ranking de assuntos mais comentados do mundo.

Publicidade
Publicidade

Mark Zuckerberg também criticou a decisão de Trump de construir um muro para separar o México dos Estados Unidos. Para o presidente americano, os imigrantes ‘roubam’ empregos dos americanos e o México, por fazer fronteira com o país, é um dos grandes responsáveis pelo desemprego de cidadãos estadunidenses.

O novo governo também tirou do ar páginas governamentais feitas em espanhol. O país possui enorme comunidade hispana e latina. Embora se tratem de povos distintos, nos EUA é comum generalizarem como latinos ou hispanos, todas as pessoas de países que falam espanhol. O Brasil também é incluído no grupo de latinos, por estar na América Latina. Somente durante a realização do senso americano que as pessoas são divididas por seu país de origem.

A crítica proferida por Mark também partiu de donos de outras grandes empresas de comunicação a nível mundial, como Twitter, Netflix e Apple.

Publicidade

Todos eles expressaram repúdio ao comportamento do novo presidente americano, em querer impedir a entrada de imigrantes e deportar os que já vivem no país.

As novas políticas de Trump prejudicam, inclusive, quem possui o Green Card, que é a permissão para morar nos Estados Unidos. Na tarde desse domingo, 29, o governo americano voltou atrás e disse que não pretende punir quem já possui o Green Card, mas não houve mudança no decreto, que está parcialmente suspenso, após decisão judicial.

O representante da Netflix deixou claro que a empresa existe graças aos imigrantes. Tim Cook, da Apple, falou abertamente ao público, que a Apple, empresa criada por Steve Jobs, não sobreviveria sem os imigrantes. Todas as empresas concordam que nenhuma criadora de conteúdo cria seu serviço para uma nação pura, mas sim para propagá-lo para as mais diferentes culturas e povos.

Atualmente, as empresas Facebook, Twitter, Apple e Netflix, juntas, possuem bilhões de usuários em todo o mundo, sendo consideradas gigantes do entretenimento e da tecnologia. #Donald Trump