Foi divulgado, nesta semana, pelo site IDG Now - especializado em tecnologia - mais um golpe do WhatsApp. Desta vez, mais de 260 mil pessoas foram atingidas no Brasil. De acordo com as informações, o golpe era bem simples: a promessa de uma nova função que permitiria que usuários pudessem saber quem os adicionam.

Ao clicar sobre o link, que foi amplamente compartilhado em grupos e entre usuários do #WhatsApp, a pessoa era então redirecionada a uma página da #Internet onde, para ‘ativar’ a função prometida, tinha que instalar outros aplicativos.

E era dessa maneira que os golpistas ganhavam dinheiro. Cada vez que alguém fazia essa instalação, eles ganhavam uma porcentagem.

Publicidade
Publicidade

Segundo a empresa PSafe, que tem ampla experiência na segurança digital, apenas usuários do WhatsApp que utilizam o sistema operacional Android foram afetados, além disso, eles também destacaram que esses outros aplicativos que foram instalados não continham vírus, pelo menos não necessariamente.

Como agem os cibercriminosos

Sempre com falsas promessas, geralmente relacionadas a ganhar dinheiro sem esforço ou funções milagrosas em aparelhos celulares, os cibercriminosos agem iludindo as pessoas, que acreditam que encontraram a saída perfeita para seus problemas.

No caso do novo golpe do WhatsApp, os criminosos usaram a estratégia de aguçar a curiosidade dos internautas, que ficaram tentados a descobrir quem estava os adicionando. A partir disso, cada vez que alguém baixava o aplicativo, o criminoso virtual ganhava dinheiro.

Publicidade

Como se proteger de golpes no WhatsApp

A primeira coisa que deve ficar bem clara para qualquer usuário que queira evitar cair em golpes no WhatsApp é ficar atento ao que é divulgado na mídia nacional e internacional. Como se trata de um aplicativo com milhões de usuários no mundo inteiro, sempre que uma novidade aparece, ela é amplamente divulgada pelos meios de comunicação.

Se surgir alguma dúvida, a dica para evitar cair em um golpe no WhatsApp é não clicar em links ou imagens suspeitas, não passar senhas (banco, e-mail, entre outras) ou documentos pessoais para ninguém. Você já caiu em algum golpe na internet ou tem outras dicas de como se proteger? Conte nos comentários! #Crime