Parte do que nos torna humano é que experimentamos emoções, mas ainda é muito difícil saber o que outras pessoas estão sentindo, especialmente quando elas tentam esconder. E se tivéssemos máquinas que pudessem ler e interpretar as emoções das pessoas para nós?

Os cientistas do MIT (Instituto de Tecnologia de Massachusetts), nos Estados Unidos, pensaram nisso e desenvolveram um dispositivo que pode detectar como uma pessoa está se sentindo sem sequer olhar para o seu rosto.

Como demonstramos nossas emoções?

Bem, nós demonstramos emoções não apenas através de expressões faciais e linguagem corporal, mas com toda a nossa fisiologia, coisas como o ritmo cardíaco, respiração, pressão arterial e suor.

Publicidade
Publicidade

Estas são as mudanças exatas que são detectadas quando a pessoa está ligado a um polígrafo, mas ele necessita estar fisicamente conectado, que é uma maneira muito trabalhosa para obter uma leitura sobre o estado mental de alguém. Então, é nessa hora que o dispositivo do MIT, apelidado de EQ-Radio, entra em ação.

Como o EQ-Radio detecta emoções?

O robô detector de emoções emite ondas de rádio em direção a uma pessoa e analisa como essas ondas são afetadas pela ascensão e queda de vibrações do pulso sob sua pele. Com esta informação, o dispositivo pode medir o tempo entre batimentos cardíacos e a respiração, e avisa quando eles estão acelerando ou desacelerando. Em seguida, o EQ-Radio utiliza um algoritmo para determinar combinações de dados com os diferentes estados emocionais.

Em um teste para reconhecer as emoções de alegria, prazer, tristeza e raiva em 12 assuntos, a máquina foi capaz de identificar essas emoções corretamente 87% do tempo.

Publicidade

E quando foi mostrado um novo assunto, conseguiu adivinhar como as pessoas estavam se sentindo mais de 73% do tempo.

Os cientistas acreditam que essa tecnologia poderia ser usada para atividades como pesquisa de mercado, mostrando para uma produtora como o público está se sentindo enquanto assiste a um filme. Também poderia ajudar a monitorar o estado emocional das pessoas por razões médicas, tais como a observação de pessoas com depressão.

Mas não vamos nos esquecer das expressões faciais, porque a tecnologia também realiza uma leitura do rosto mais exata do que os olhos humanos. O software pode medir os detalhes os detalhes de rosto muito bem, analisando a relação de determinados pontos da face, que pode adivinhar como a pessoa se sente com uma impressionante precisão.

O robô pode nos ajudar a diagnosticar e compreender as pessoas com autismo, que têm dificuldades para expressar emoções, ou pessoas com transtorno de estresse pós-traumático, e pode até nos permitir estudar o que está acontecendo em seus cérebros quando sentem emoções complexas. Assim, dispositivos como esse poderiam melhorar a #Ciência médica, mesmo que seja um pouco assustador. #Curiosidade #emoção