Milhões de usuários estão conectados pela rede mundial de computadores. Essa tecnologia facilita muito a vida, e acelera tarefas importantes do dia-a-dia, possibilitando ganho de tempo. Nos anos 1970,19 80 e 1990, nunca se imaginou pagar um boleto pela internet, ou mesmo cursar faculdade a distância. Entretanto, essa mesma tecnologia, coloca muitas pessoas em grande risco.

No ano de 1995, o instinto de inteligência naval dos Estados Unidos desenvolveu uma maneira de se comunicar sem que as informações fossem interceptadas. Este modo era por meio da criptografia de dados, que utilizavam sites não indexados pelos motores de buscas comum, ou seja que, não permitiam sua localização pelo fato de não terem registrado o seu domínio.

Publicidade
Publicidade

Acesso à "#Internet negra"

A internet que normalmente é utilizada não se compara a todo conteúdo que fica escondido na deep web, composta de dezenas de milhares de sites escondidos com um universo de códigos criptografados. Essa parte da internet é onde estão redes internas utilizadas por empresas e instituições acadêmicas, mas também é utilizada para praticas nada agradáveis como: venda de drogas, pedofilia, assassinatos, tráfico de órgãos etc.

Todos estes crimes são abordados e até contratados através de fóruns. Sua navegação é secreta, permitindo que criminosos não sejam descobertos pelas autoridades. A maneira mais utilizada por muitos é através do navegador TOR. Entretanto vale lembrar, que quem acessa este tipo de conteúdo pode ter seu computador infectado por vírus ou invadido por hackers.

Publicidade

Bonecas sexuais humanas

Entre os crimes encontrados na #Deep web está o de crianças de países de extrema pobreza, com idade entre 8 e 10 anos, são compradas de seus pais, e passam por mutilações de membros. Depois, elas são vendidas por preço que varia de US$ 40 mil a 700 mil (R$ 124,5 mil a R$ 2,18 milhões).

Existe risco ao navegar deep web?

Sim e não são poucos, veja a lista a seguir:

  • Ataques de hackers
  • Transtornos psicológicos
  • Vírus ilimitados
  • Investigação de autoridades
  • Perda de dados pessoais (RG, CPF)
  • Perder dinheiro