Os populares smartphones já conquistaram grande parte dos usuários ao redor do mundo, pelo fato dos aparelhos desempenharem funções importantes que têm facilitado muito a vida da sociedade que precisa, cada vez mais, estar conectada a rede mundial, seja para trabalho, comunicação ou lazer. Estes aparelhos têm sido uma fonte completa de conveniências, desde mandar e-mails como também funções de maior complexidade, como GPS ou outras funções que antigamente eram exclusivas do bom e velho computador.

Tais aparelhos, que representam uma grande #Inovação ao mundo digital, como se sabe, têm o mercado liderado pelas gigantes do segmento, a Samsung e a Apple, cujos dispositivos desenvolvidos pelas líderes de vendas do mundo, contam cada um com suas peculiaridades próprias de cada fabricante, de tal forma que o mundo se divide entre amantes de dispositivos Apple e Samsung.

Aparentemente esta rivalidade entre as duas gigantes é bastante selvagem no mundo capitalista, visto que as duas empresas já envolveram-se em processos judiciais relativos a direitos autorais de patentes. Suposta espionagem industrial já foi especulação midiática no passado.

Contudo, nota-se que, assim como o mundo capitalista é bastante competitivo e selvagem, muitas vezes este mesmo cenário pode unir empresas em prol do ideal maior que representa o lucro, tanto é que as companhias fizeram um acordo de US$ 4,3 bilhões que envolve o fornecimento de 60 milhões de painéis OLED que provavelmente será utilizado para o iPhone 8, sendo que tal acordo não tem relação alguma com acordo anterior, em que a Samsung iria fornecer 100 milhões de painéis para Apple.

Tal acordo significa que a fabricante sul-coreana tem 80% de influência na demanda dos iPhones, contando que a Apple envia por ano 200 milhões de aparelhos às lojas, 160 milhões de telas são fabricadas pela Samsung. O acordo tende a consolidar-se entre as corporações e os pesados investimentos da empresa sul-coreana em tecnologias inovadoras para telas, garantem a excelente qualidade exigida pela coirmã de mercado. #Tecnologia #Negócios