Algumas novidades no aplicativo de mensagens WhatsApp são aguardadas pelos usuários. Trata-se do recurso que permite editar mensagens que já foram enviadas, assim como o #Telegram já faz.

Outro recurso bastante esperado no mensageiro é o que apaga mensagens enviadas, mas que ainda não foram lidas pelos destinatários. Porém, mesmo que o conteúdo da mensagem seja apagado o destinatário saberá que algo foi enviado, ficará um aviso para o destinatário informando “mensagem revogada”, conforme imagens vazadas do projeto.

O #WhatsApp não confirmou essas novidades oficialmente. As informações são do usuário @WABetaInfo conhecido por antecipar os lançamentos do WhatsApp.

Localização em tempo real

E não para por aí. Outra novidade que o aplicativo pode implantar é a possibilidade de contatos visualizarem a localização de um usuário no mapa em tempo real. Mas esta nova função deve funcionar apenas em grupos, inicialmente. A funcionalidade que tem o nome Live Location Tracking foi detectada na versão beta do mensageiro.

Por padrão, essa função virá desabilitada. Para funcionar, um contato deve solicitar ao usuário sua localização, que pode ser fornecida por um a cinco minutos ou por tempo indeterminado. Para algumas pessoas, essa ferramenta é uma invasão de privacidade, mesmo que permita desabilitar a função e abre precedente para outras funcionalidades mais invasivas.

Atualmente é possível compartilhar um local específico com contatos. Deixando a questão da privacidade de lado, o acompanhamento em tempo real pode facilitar o encontro de pessoas em lugares movimentados e pode, inclusive, contribuir com a segurança.

Acredita-se que essas novidades serão disponibilizadas muito em breve, mas ainda não há uma previsão para entrar em funcionamento e nem confirmação oficial por parte da empresa de Mark Zuckerberg, dono do WhatsApp e do Facebook.

Estas atualizações fazem com que o WhatsApp se torne mais competitivo e mantenha sua preferência entre os usuários, tendo em vista que existem vários aplicativos no mercado disputando esse espaço, inclusive o Youtube parece aos poucos estar entrando na disputa. #youtube