Depois da era das corridas espaciais, estamos entrando na era da corrida tecnológica. Empresas gigantes do setor de tecnologia, estão trabalhando duro para ver quem consegue a proeza de lançar o primeiro carro autônomo, ou seja, um veículo capaz de se locomover sem a ajuda de humanos, isso pode até parecer roteiro de filme de ficção científica, mas já estamos à beira de contemplarmos carros andando em todas as direções sem a necessidade um motorista atrás do volante.

E nessa corrida, duas empresas se destacam nas primeiras colocações: uma delas é a Uber, empresa multinacional norte-americana, que atua na área de transporte privado urbano e a outra que dispensa apresentações é a Google, que há anos vem investindo em inovações tecnológicas.

Publicidade
Publicidade

Eles já estão entre nós

Na verdade, os veículos autônomos já estão circulando pelas ruas de grandes cidades, mas, são veículos adaptados, geralmente SUV, e tem sempre alguém atrás do volante para que possam se locomover, visto que ainda não existe legislação que possibilite o tráfego de carros sem a presença de um motorista, e apesar de já terem percorrido cerca de 2,7 milhões de quilômetros eles tiveram apenas 11 pequenos acidentes, todos causados por falha humana e em sete casos, foram batidas traseiras, geralmente parando em semáforos.

Há quase um ano, a Google está testando um protótipo de carro que dirige 100% sozinho e planeja colocá-lo nas ruas até setembro, por enquanto ele anda apenas nas pistas de teste, mas em breve ganhará as ruas da cidade de Mountain View, na Califórnia, nos arredores da sede do Google.

Publicidade

Esses veículos já percorreram cerca de 1,6 milhões de quilômetros nas pistas de teste, sem a presença de motorista, isso é igual a 75 anos de direção de um americano ou 105 anos de direção de um paulistano, por exemplo, os veículos andam em média 15 mil quilômetros por ano.

A Uber lançou uma pequena frota de carros autônomos em setembro de 2016 na cidade de Pittsburgh, no estado da Pensilvânia, apesar de os veículos serem aptos para andarem sozinhos, por causa da legislação, eles só circulam com a presença de um motorista a bordo, mas a empresa está enfrentando muitas reclamações, principalmente de pedestres e ciclistas que apontam o comportamento perigoso dos carros autônomos, como avançar o sinal vermelho, realizarem curvas perigosas e não respeitar as ciclovias. A empresa afirma que está trabalhando para resolver essas questões e disse que nestas situações o motorista assume o volante.

Parceria promissora

No último dia 31 de janeiro, a empresa anunciou a parceria com a Daimler, dona da Mercedez-Benz para o desenvolvimento de veículos 100% autônomos, ainda não tem uma data definida para que os passageiros possam utilizar esses veículos, mas a Uber pretende em breve disponibilizar essa tecnologia aos seus usuários.

Publicidade

Atualmente os veículos utilizados pela Uber são modelos Ford Fusion e Volvo XC90, todos adaptados com diversos recursos de assistência ao motorista e no último caso até rodam sozinhos dentro de certos limites, e também possuem tecnologia de direção autônoma criada pela própria empresa. #Inteligência Artificial #Carro autônomo #carro autônomo da uber