Todo mundo já deve ter reparado que, periodicamente, o logo do Google é substituído por animações e desenhos personalizados, também chamados de #doodle.

Geralmente, isso acontece em feriados, aniversários de pessoas famosas e alguns eventos importantes, como Olimpíadas, Copa do Mundo e por aí vai.

Nesta semana, a arquiteta e paisagista #lotta de Macedo Soares recebeu uma homenagem da gigante da internet e foi retratada em um Doodle, em comemoração ao seu 107º aniversário de nascimento, celebrado em 16 de março.

A homenagem traz um desenho da arquiteta trabalhando, em alusão à confecção da planta do projeto do Parque do Flamengo, que fica no Rio de Janeiro (RJ).

Publicidade
Publicidade

Também chamado de "Aterro do Flamengo", o parque é considerada o maior aterro urbano do mundo e o trabalho de maior expressão de Lotta, que era autodidata.

Lotta foi a responsável pela construção e concepção arquitetônica do parque, que incorporado para a realização de maratonas e corridas de ciclismo. Aliás, uma série de e eventos olímpicos aconteceram no local, nas Olimpíadas Rio 2016.

Designer talentosa

Maria Carlota Costallat de Macedo Soares, ou simplesmente Lotta, nasceu em Paris, no dia 17 de março de 1910. Era filha de brasileiros, que permaneceram na Europa até 1912, quando voltaram para o Brasil com a família.

Na década de 1940, Lotta foi morar em Nova York. Fez alguns cursos no Museu de Arte Contemporânea, mas não chegou a frequentar a universidade. Mesmo assim, foi reconhecida como arquiteta autodidata e paisagista.

Publicidade

Tinha talento excepcional e o dom de criar estruturas e paisagens, como a casa que construiu em Petrópolis, apelidada de Samambaia.

Vida retratada em filme

A vida de Lotta foi retratada no filme "Flores Raras", de 2013, do diretor Bruno Barreto. A produção conta a história da arquiteta e retrata aspectos profissionais, como a ligação com o governo de Carlos Lacerda, que deu o start para a construção do Parque do Flamengo.

Porém, o foco principal da produção é o romance entre Lotta e a poetisa norte-americana Elizabeth Bishop, considerado um escândalo, na época.

Na produção, que conta com atores brasileiros e norte-americanos, Lotta foi interpretada pela atriz #Glória Pires, que desempenhou o papel com maestria, segundo a crítica. Quase 100% dos diálogos na produção foram foram desenvolvidos em inglês.