Atualmente, a empresa #Netflix conta com 90 milhões de usuários, e em pouco chegará a 100 milhões. Uma das explicações para esse tremendo sucesso é a sua disponibilidade de oferecer conteúdo de qualidade e original por meio do streaming, uma tecnologia que vem incomodando algumas empresas e gerando polêmicas.

No início, a Netflix trabalhava alugando DVD para seus clientes e entregando sem taxa de atraso. O valor como praticado de cobrança pelo serviço era baixo. Então, começou assim a distribuição de conteúdo para um público ávido por séries e filmes.

Com o passar do tempo, a empresa foi evoluindo junto com a tecnologia e hoje oferece uma infinidade de conteúdo de qualidade por streaming.

Publicidade
Publicidade

O usuário apenas precisa de uma conexão com a internet para assistir quando e onde quiser as suas séries favoritas, podendo pausar e continuar no momento que desejar.

Criticada por gerar grande volume de transmissão de dados por empresas de telefonia, a Netflix pretende aperfeiçoar mais ainda o seu serviço compactando o seu conteúdo transmitido para diferentes aparelhos. O presidente executivo da empresa, Reed Hastings, no evento Mobile World Congress 2017 (MWC), disse que a empresa está investindo em tecnologias de compactação de conteúdo em vídeo visando um futuro em que 90% do que as pessoas vão assistir esteja online.

O World Congress 2017 é o maior evento de celulares mobile do mundo e terminou nesta quinta-feira (2), em Barcelona, na Espanha. O cofundador Reed Hastings afirma que a Netflix pretende se adaptar a vários tipos de formato de tela, e busca uma forma de transmitir seus vídeos no modo vertical.

Publicidade

O objetivo é estar disponível para vários formatos de transmissão de conteúdo. Para isso, a empresa habilitou a opção de baixar vídeos para assistir offline.

Uma observação que Reed Hastings faz tem relação com a produção local que conquista um público em diferentes partes do mundo. Um exemplo disso é a série brasileira 3%, que vem conquistando um público em países como Estados Unidos e Alemanha.

Com a grande quantidade de conteúdo que possui para ser transmitida, a Netflix se defende das críticas de empresas de telefonia de grande consumo de dados. Reed Hastings afirma que está trabalhando para que os vídeos sejam menos pesados para serem transmitidos.

Sobre o fato da TV aberta e da TV por assinatura estarem perdendo clientes, o executivo diz que nos Estados Unidos o número de clientes se mantêm os mesmos, e que o usuário da Netflix apenas tem um entretenimento a mais em suas opções, aliando assim esse serviço de streaming às demais escolhas.

O crescimento da plataforma segue vertiginosamente.

Publicidade

As regiões em que o número de clientes estão crescendo são África, Ásia e Oriente Médio. A atuação da empresa se dá em quase todos os países, com exceção da China.

De acordo com o presidente executivo, a empresa vem aprendendo cada vez mais com os diferentes países em que atua para distribuir conteúdo streaming, e assim melhorar tanto a transferência de dados quanto a inteligência desse serviço para ganhar mais clientes. #Seriados #Filme