A revista norte-americana Variety divulgou que o #Snapchat está sendo processado por um ex-funcionário chamado Anthony Pompliano, e que nessa ação um acontecimento veio a público, causando a maior polêmica no mundo tecnológico. Segundo a publicação, em reunião, Pompliano demonstrou certa preocupação com o Snapchat, visto que o aplicativo não estava sendo utilizado em outros países como deveria e estava perdendo importantes oportunidades. Segundo o ex-funcionário, o CEO da empresa do fantasminha, Evan Spiegel, o interrompeu bruscamente e disse uma frase polêmica: "Esse aplicativo é só para gente rica" e continuou que "não quero expandir para países pobres como Índia e Espanha."

A companhia tentou em uma corte em Los Angeles, nos Estados Unidos, impedir que o processo viesse ao conhecimento de todos, alegando que isso poderia prejudicar os seus negócios perante seus concorrentes, mas a empresa acabou desistindo e o processo veio a conhecimento de todos.

Publicidade
Publicidade

Além disso, o funcionário que está processando a companhia tentou obter informações mais precisas sobre o número de usuários que o aplicativo tem no mercado e descobriu que os números eram menores do que a companhia divulgava. Mas os advogados não concordam. "O fato é simples: ele [Pompliano] não sabe nada sobre as métricas atuais do Snap(...) Ele e seus advogados estão só inventando coisas", de acordo com a defesa do Snapchat.

O inicio da crise

Antes desse acontecimento, as ações da companhia já apresentavam a maior queda da história da Bolsa de Valores de Nova York. Em sua estreia, as ações do Snap saltaram 44%, de US$ 17 de para US$ 24,48, mas dias depois caíram 16,45%, chegando a valer US$ 19,89.

Apesar dessas variações, uma empresa do nível do Snapchat deveria ter suas ações acima de US$ 20, situação que não aconteceu e deixa o CEO da empresa em estado de alerta.

Publicidade

Segundo os analistas, os investimentos da concorrência e a falta de consenso entre os investidores externos causaram a desaceleração da plataforma, causando essa baixa.

A revolta e o boicote pelo mundo

A declaração do Evan Spiegel causou revolta imediata na internet, principalmente na Índia, país emergente, que tem grande foco de outras empresas de tecnológica como a Apple. As consequências são inúmeras criticas e várias avaliação negativa do aplicativo na Apple Store e Google Play, classificados com uma estrela.

A indignação foi tanta que usuários do mundo inteiro começaram um boicote ao app. No Twitter, a hashtag #boycottsnapchat chegou a ficar no trending topics durante horas. Confira alguns tuítes:

E o futuro do aplicativo?

Depois de ver seu aplicativo perder valor de mercado, gerando inúmeros prejuízos à empresa, um porta-voz do Snapchat declarou: "Isso é ridículo.

Publicidade

Obviamente, o Snapchat é para todos! Está disponível ao redor do mundo para download de forma gratuita. Aquelas palavras foram ditas por um ex-empregado desapontado. Somos gratos por nossa comunidade indiana e ao redor do mundo no Snapchat."

Se as informações do funcionário são verídicas ou não, uma coisa é certa, a cada dia que passa a companhia está perdendo fãs, suas ações estão cada vez mais em baixa e seus recursos estão sendo roubados por vários aplicativos da concorrência, como o #Instagram, que já tem mais usuários ativos que o Snapchat. Diante dessas situações, o futuro da empresa é bem incerto e perigoso. #Android