A plataforma de vídeos mais utilizada no mundo, o YouTube, anunciou nesta semana que o Programa de Parceiras terá mudanças significativas para aqueles que produzem conteúdo. Agora, os chamados youtubers, cadastrados no programa, só irão rodar propagandas, e assim ter lucro, após atingirem a marca de 10.000 visualizações.

Segundo Ariel Bardin, vice-presidente de produtos de gerência do #youtube, essa novidade permitirá que a plataforma determine a validade do canal. "Também ajudará a confirmar se o canal segue nossas diretrizes e políticas de propaganda", disse a executiva. Além disso, Bardin afirmou que também dará segurança aos aspirantes a criadores de conteúdo.

Publicidade
Publicidade

Programa de participação

Criado em 2007, o Programa de Parceira do YouTube foi uma maneira encontradas para monetizar os vídeos. A partir de 2012, todos os youtubers puderam receber dinheiro pela propaganda que rola em seus vídeos.

A mudança ocorre, principalmente, após o YouTube soltar propaganda em vídeos extremistas e de teor de ódio. A companhia anunciou, em março, que diversas mudanças irão ocorrer, dando mais controle sobre os anúncios que aparecerão.

YouTube TV

Em março, o Google confirmou a criação de YouTube TV, plataforma totalmente online que dará ao telespectador diversas formas de entretenimento. O serviço irá concorrer com Netflix, Hulu e Amazon prime. A plataforma custará 35 dólares mensais e começou a ser utilizada em algumas cidades americanas nesta semana.

No começo dos testes, apenas os Estados Unidos terão o serviço disponibilizado.

Publicidade

A única opção será a Liga Nacional de Futebol no desktop ou na TV. Após este período, os usuários vão assistir de qualquer lugar e com conteúdos gravados em qualquer dispositivo que tenha o YouTube. Até seis pessoas conseguirão utilizar a mesma conta.

Entre os canais americanos que estarão disponíveis estão a Fox, ABC, CW, CBS, ESPN - e diversos outros canais que possuem a programação esportiva -, Freeform, BravoTV!, Disney Chanel, Disney XD, E!, Universal, USA Network, FX, FXX, Fox News e SyFy. Outros canais expressivos possuem contratos com outras plataformas e não aderiram ao YouTube.

Susan Wojcicki, diretora executiva do YouTube TV, comentou que a plataforma é pensada em jovens que buscam notícias, filmes e outras programações, sem precisar assinar um serviço a cabo ou por satélite. Para Neal Mohan, diretor dos produtos do YouTube, esse novo serviço será uma oportunidade para reinventar a televisão como conhecemos.