Os usuários do sistema #Android da Google que utilizam muito a #Playstore para baixar vários aplicativos em seus aparelhos podem começar a se preocupar. Mesmo com um sistema projetado para identificar possíveis ameaças aos aplicativos disponibilizados na loja de aplicativos do Google, tudo leva a crer que algumas aplicações estão conseguindo burlar estas proteções.

O problema foi descoberto por pesquisadores antifraude da eZanga, uma empresa que presta serviços no combate de fraude publicitária. Os técnicos descobriram que diversos apps da Playstore estavam gerando de forma fraudulenta de receitas através de simulação de clique em anúncios em diversos smartphones que possuem o sistema Android instalado.

Publicidade
Publicidade

Ao todo foram identificados 317 aplicativos que estavam fazendo uso deste método espalhados em todo o mundo. O prejuízo contabilizado pode chegar a cerca de US$ 6,5 bilhões (R$ 21,5 bilhões), que foram perdidos em receita de publicidade.

Malwares conhecidos

Os malwares que já são conhecidos são aqueles que roubam os dados dos usuários. Os que foram identificados nesta pesquisa são que usam como ferramentas anúncios intrusos para receber cliques sem a autorização do usuário.

O click farm, como é chamado (fazenda de cliques, em tradução livre), para gerar receita em anúncios publicitários, cria cliques simulados em banners de anúncios.

Aplicativos de papel de parede

Os dois aplicativos que foram encontrados estes malwares e que estavam sendo monitorados são de papel de parede - Oriental Beauty e Lovely Rose -, que durante um período de 24 horas foram detectados cerca de 3 mil solicitações de cliques, na qual 169 foram concretizadas com sucesso.

Publicidade

O que impressiona é que mesmo com os smparthones em modo repouso, o click farm continuou ativo. Segundo a eZanga, estima-se que todos estes mais de 300 aplicativos mal intencionados podem ter sido instalados variando entre 4 e 12 milhões de vezes, sendo que apenas o aplicativo Clone-Camera está chegando à marca de mais de 1 milhão de vezes que o aplicativo foi baixado, que também foi identificado um destes malwares.

O que os aplicativos infectados fazem?

Como já citamos, estes aplicativos são usados para simular cliques em anúncios para as empresas e gerar uma receita por cada clique bem-sucedido. O problema maior é que estes aplicativos fraudulentos são mais usados em apps de papel de parede para personalizar as telas dos aparelhos. O usuário pode instalar e depois se esquecer de desinstalar. Enquanto isso, o malware fica ativo dentro do #smartphone.

Outro detalhe importante é que estes aplicativos maliciosos são baixados gratuitamente, o que chama mais a atenção para que sejam instalados.

Publicidade

Uma observação feita pela empresa é que também estão migrando para outros aplicativos de câmera e navegadores web. Estes aplicativos são discretos e não são percebidos pelo usuário.

Para os usuários, os problemas ocasionados podem ser o dreno da bateria dos aplicativos mesmo em repouso e a exposição de alguns anúncios invasivos. Outra questão é que não se sabe qual é a potencial ameaça em um futuro destes maliciosos apps.