Algumas décadas passadas e tudo que se imaginou em tecnologia já é verdade. Carros voadores ainda não ocupam os céus, mas o homem já se apropriou das tecnologias que tornam isso possível e já criou alguns carros conceitos. Robôs? Já não são novidade há algum tempo – a robótica avança tão rapidamente que já há até androides muito parecidos com pessoas reais.

Michael Rogers, presidente do Banco de Boston, disse em entrevista à Bloomberg, no ano passado, que há uma grande chance das 20.000 intervenções manuais feitas em transações do banco diariamente, serem feitas eletronicamente, graças aos avanços na computação em nuvem e algoritmos.

Publicidade
Publicidade

- E pensar que ludistas quebraram uma máquina de tear em plena Revolução Industrial, em protesto contra a mecanização do trabalho – ficariam enlouquecidos em tempos atuais. -

Se você estiver se perguntando qual o motivo dessas colocações, explicaremos: queremos mostrar o quanto já existe em inovações que possibilitam a otimização de tempo e a redução de custos em processos industriais, por exemplo, e o quanto elas estão à frente e poucos conseguindo acompanhá-las – ou não entendendo ainda o que está acontecendo.

Parece simples, mas é bem mais que isso. O exemplo dado é um ponto entre milhões de pontos interligados. Esses milhões de pontos interligados são sistemas ciberfísicos que se comunicam entre si e com o homem e que representam uma revolução. Sim, fala-se na #Quarta Revolução Industrial.

A Quarta Revolução Industrial: a quebra de paradigmas

Apesar de economistas terem nomeado a nova realidade tecnológica (que reúne tecnologias digitais, biológicas e físicas) de "Quarta Revolução Industrial", também chamada de "Revolução 4.0" ou "Indústria 4.0", ela não surge como uma extensão da terceira revolução industrial – e como aconteceu com as anteriores.

Publicidade

É um mundo novo, uma ruptura de padrões industriais e o nascimento de novos - daí ser considerada "revolução" e não apenas mais um ciclo do desenvolvimento tecnológico. Eles inclusive apontam as razões para não ser considerada uma extensão: velocidade, alcance e impacto nos sistemas.

O Forum Econômico Mundial de Davos, realizado em janeiro de 2016, discutiu a Quarta Revolução Industrial e levantou um ponto bastante crítico: que os avanços vêm em uma velocidade impressionante, sem precedentes na História e em um momento em que o mundo ainda não superou os efeitos colaterais das anteriores, como pobreza, desigualdades sociais e é claro, a degradação do meio ambiente.

A Quarta Revolução Industrial e o meio ambiente

Uma coisa é certa: não tem como tecnologias de todos os tipos avançarem sem que se considere a sustentabilidade do planeta.

O modelo de desenvolvimento econômico durante as outras revoluções industriais cobraram um preço alto do nosso meio ambiente. A Terra e seus sistemas naturais passam por grandes dificuldades.

Publicidade

Muito já se fez nas últimas décadas, mas ainda é o mínimo do que deve ser feito.

Vários países firmaram compromisso com a Agenda 30, da ONU, que propõe 17 Objetivos do Desenvolvimento Sustentável (17 ODS) com 169 metas. Mas o compromisso não depende só das autoridades, o compromisso depende também da população e significativamente das cadeias produtivas

Mas há uma boa notícia: proporcionalmente aos grandes avanços da Revolução 4.0 é o seu potencial para promover melhorias na gestão ambiental. Um exemplo é que ela pode propiciar mudanças de sistemas, fundamentais para que se crie economias seguras, limpas e inclusivas.

Sistemas ciberfísicos, computação na nuvem, IoT e nanotecnologia

Para entender o que é a Quarta Revolução Industrial, é preciso que conheça um pouco sobre alguns conceitos ligados ao assunto.

  • #Nanotecnologia: quem não lembra de quando aprendeu na escola sobre as dimensões de átomos e moléculas? Pois é, esse tamanho não é mais exclusividade desses elementos, agora processos e produtos tecnológicos podem ser desenvolvidos pela manipulação de partículas minúsculas - a essa ciência se dá o nome de nanotecnologia.
  • IoT: do inglês "Internet of Things", a "#internet das coisas" dá nome ao processo que liga objetos de nosso dia a dia ao mundo digital. Casas com eletrodomésticos inteligentes são um exemplo do conceito de IoT.
  • Computação em nuvem: é basicamente um serviço de servidor online, onde o usuário pode acessar as mais variadas aplicações de qualquer lugar, sem que precise tê-las instaladas em computadores locais.
  • Sistemas ciberfísicos: é a combinação de máquinas com processos digitais. Esses sistemas têm a capacidade de cooperar com humanos e até mesmo entre eles, além de poderem tomar decisões descentralizadas – isso tudo por intermédio da internet das coisas.

A tecnologia nos negócios

Enquanto em partes do mundo a Indústria 4.0 está em vias de se tornar realidade, outras ainda caminham a passos lentos em direção à adoção de sistemas automatizados.

No Brasil, o mercado ainda é meio resistente a investimentos em tecnologias digitais, em parte porque considera um custo elevado e não consegue visualizar o retorno do que irá investir. Pode ser também falta de clareza sobre os benefícios da automação dos processos: redução de custos de produção, otimização de tempo, aumento de produtividade, redução no consumo de energia e evitar desperdício, citando alguns.

Há que se inserir no mundo tecnológico, porque como vimos, tudo evolui em uma velocidade assustadora, não dá mais para ficar pra trás, principalmente quem quiser sobreviver no meio corporativo. É preciso encarar que está mais do que na hora de automatizar todos os processos e que isso é um investimento cujo retorno é garantido.

Automatizar e integrar as etapas do processo produtivo já é mais do que necessário. As soluções da TOTVS são as ferramentas certas para isso. Essas tecnologias atuam principalmente em três frentes:

  • Otimização da cadeia produtiva
  • Segurança, agilidade e eficiência na gestão
  • Redução de desperdícios

Ferramentas como o MRP e MRP II, ERP, MES e APS levam os processos produtivos a um outro nível, causando, inclusive, efeitos diretos na competitividade. A TOTVS pode oferecer a solução ideal para a automação dos processo industriais, independentemente do porte do negócio, por meio de pacotes personalizados que vão de encontro às necessidades de cada empresa.

Não cogite ficar fora da Revolução 4.0, consulte as opções em soluções completas em automação e torne o seu negócio mais eficiente, ágil e competitivo.