Publicidade
Publicidade

Tão certo como um novo #Golpe surgirá logo após outro, é que muita gente, por ingenuidade, cairá nele e perderá dinheiro. No passado, eram feitos na rua, depois, passaram a ocorrer por telefone e, nos últimos anos, a internet está ajudando os vigaristas a ludibriarem pessoas.

O mais novo golpe virtual está sendo disseminado pelo #WhatsApp e já fez quase 300 mil vítimas, e o número pode chegar ou passar dos 3 milhões. O #Facebook também tem uma modalidade de golpe, em que cibercriminosos criam promoções falsas usando o nome de grandes empresas.

WhatsApp

Os golpistas do WhatsApp têm como alvo pessoas que ganham menos de dois salários mínimos ou que estejam sem emprego há mais de um ano.

Publicidade

Através de uma mensagem, prometem que ocorrerá uma nova seleção de candidatos para a CNH Social e que isenta o usuário, não precisando pagar nada para tirar a habilitação.

Ao usuário, é solicitado que preencha seus dados pessoais, como nome completo, data de aniversário, local onde mora etc., e, depois, deve compartilhar com dez amigos ou em cinco grupos. Ao conseguirem os dados das vítimas, os cibercriminosos poderão aplicar golpes mais sólidos, visando a tirar dinheiro de quem passou suas informações ou de vender esses dados para outros golpistas ou, até mesmo, para empresas. Para dar mais credibilidade à ação, os golpistas possuem uma página no Facebook que mostram postagens de outros programas sociais, como o ‘Minha Casa, Minha Vida’ e o ‘Bolsa Família’.

O diretor do DFNDR Lab, laboratório de segurança digital, Emilio Simoni, explicou, em entrevista dada ao portal UOL, que as pessoas devem sempre suspeitar de links que circulam no WhatsApp e não se deve clicar neles.

Publicidade

Ele indica, ainda, a instalação de aplicativos de segurança que reconheçam links perigosos.

Golpe no Facebook é ainda mais grave

Navegando tranquilamente pela sua linha do tempo no Facebook, você se depara com uma promoção de cair o queixo: uma TV maravilhosa ou o último modelo de celular por preços com 60% ou mais de desconto. Para dar autenticidade ao golpe, a propaganda ainda tem o nome de grandes lojas, como Casas Bahia, Lojas Americanas etc. Você clica no link e verifica que a página parece ser mesmo da loja, mas, na empolgação, se esquece de olhar o endereço do site, que é bem diferente do verdadeiro. Sem pensar muito, acaba comprando o produto através do cartão de crédito e pronto! O golpe está dado. Eles pegarão o dinheiro disponível em seu cartão e o produto nunca será entregue.

Para evitar cair nessa armadilha, caso veja uma promoção incrível nas redes sociais, não clique no link, abra outra página e pesquise sobre o endereço oficial da loja na internet. Ao chegar nele, verifique se o produto está, de fato, sendo ofertado.