Brigitte Bardot foi um grande símbolo dos anos 50 e 60 por sua beleza e sensualidade, além de contribuir para a libertação sexual no mundo. Após estrelar dezenas de filmes franceses e se aventurar em algumas películas inglesas, a atriz vive hoje em completa reclusão, apenas em companhia de seus animais. As poucas vezes que aparece em público atualmente é, na verdade, para sair em defesa de animais de diversas espécies. Brigitte costuma dizer que a sua "primeira vida" possibilitou vencer na "segunda". Por primeira vida, ela se refere aos anos em que trabalhou no #Cinema. Por segunda, ela se refere aos anos em defesa dos animais. A atriz acredita que ter ficado famosa e conhecida no mundo inteiro a possibilitou fazer tanto pelos animais.

Publicidade
Publicidade

Antes de ser atriz, Brigitte Bardot era uma bailarina dedicada. No ano 1956 ela explodiu nas telonas ao estrelar o filme "E Deus Criou a Mulher", do diretor Roger Vadim, com quem se casou posteriormente. No filme, Brigitte Bardot chamou atenção do mundo inteiro ao dançar de forma sensual o mambo - a cena era tão provocante na época que o filme foi banido em algumas partes dos Estados Unidos.

E foi nesse filme que o mito Brigitte Bardot surgiu. Além de ter se tornado símbolo sexual, a atriz se tornou alvo de ligas conservadoras, pois podia representar algo mais perigoso do que um mero "sex symbol". Tanta atenção fez a atriz perder toda a sua privacidade, algo que contribuiu para que fizesse várias tentativas de suicídio durante a vida. Sem privacidade, grávida de uma criança que não desejava e entre diversos casos de amor, Bardot encontrou paz com os animais.

Publicidade

A atriz, que nasceu em 28 de setembro de 1934, estrelou cerca de 50 filmes. Entre as obras-primas que qualquer pessoa deve assistir, além de "E Deus Criou a Mulher" que a lançou ao mundo, estão "O Desprezo" de Jean-Luc Godard e "Amar é a minha profissão" de Claude Autant-Lara.

A ruptura com o mundo do cinema aconteceu abruptamente em 1973, após a atriz assistir uma reportagem sobre a caça às focas. Bardot vive até hoje em "La Madrague", nome que deu à sua casa em Saint-Tropez, vila de pescadores na França. Atualmente, recolhe animais em situação de perigo e leva-os para sua Fundação, que existe desde 1986.

5 filmes de Brigitte Bardot que você deve assistir

  1. O Desprezo (Jean-Luc Godard)

  2. E Deus Criou a Mulher (Roger Vadim)

  3. Amar é a Minha Profissão (Claude Autant-Lara)

  4. A Verdade (Henri-Georges Clouzot)

  5. Vida Privada (Louis Malle)*

* O filme "Vida Privada" é uma espécie de biografia livremente inspirada na vida de Brigitte Bardot.

#Entretenimento #Famosos