Meados dos anos 80, o Brasil vivia uma época de transformações. O fim da ditadura militar era eminente, jovens Brasil a fora empunham suas novas armas, guitarras, baixos, baterias e microfones, para berrar aos quatros cantos: "Sim, nós temos Rock and Roll!".

ABC Paulista, berço de inúmeras bandas que saíam de suas garagens para tomar de assalto as casas de espetáculos e danceterias que pipocavam nos grandes centros. Foi no ABC que surgiu uma das primeiras bandas de thrash metal brasileiras, o Necromancia.

Formada pelos irmãos Marcelo "Índio" D'Castro na guitarra e voz e Kiko D'Castro na bateria, completando a formação Edgar "Budega" Gerbelli no baixo.

Publicidade
Publicidade

Logo a banda se destacava no meio underground nacional, principalmente depois de sua participação na coletânea Headthrashers Live que revelou entre outros o guitarrista do Sepultura, Andreas Kisser.

Após muita luta e persistência, mais de uma década depois de seu surgimento, a banda consegue enfim gravar seu primeiro disco, o homônimo Necromancia de 1996, que até os dias de hoje é considerado um clássico do estilo no Brasil. O disco foi produzido por Geraldo D'Arbilly que já tinha trabalhado com David Byrne (ex-Talking Heads) e David Bowie. Três canções do disco se destacam, "Cold Wish", "No Way Out" e a instrumental "Hypnotic".

Cinco anos mais tarde, em 2001, lançariam seu segundo álbum Checkmate, produzido pelo amigo Andreas Kisser, que influenciou no amadurecimento e ajudou a banda a aprimorar sua técnica, deixando o disco com uma cara mais heavy metal.

Publicidade

Como dizem no meio, o disco é "uma pedrada na orelha", com participações mais do que especiais do próprio Andreas em "Action/Reaction" e "Greed up to Kill". Com Alex Camargo do Krisiun em "The Blooding" e Gepeto do Ação Direta em "Farsa", o disco teve ótima receptividade da crítica especializada e acabou sendo lançado na Europa pelo selo Mausoleum Records.

Em 2008 a banda negocia com o selo Voice Music e relança o primeiro disco, incluindo o material antigo como bônus, entre eles o material gravado no Headthrashers Live, a demo Suicidal Madness de 1988, o compacto "Hypnoitic" além de uma versão para "Dead Embrionic Cells" do Sepultura.

Atualmente o Necromancia está divulgando o material de seu terceiro álbum, Back from the Dead. O disco traz à tona a forte influência do thrash metal dos anos 80, contendo dez canções inéditas, além de uma nova versão para a clássica "Death Lust", gravada originalmente na demo Suicidal Madness de 88. #Entretenimento #Música